UOL Notícias Blogs
 

Blog

Cobertura política, eleitoral, pesquisas e notícias do poder

08h45 - 13/08/2010
 

 
 

UOL: receita de publicidade e outras cresceu 43%

O portal de internet mais tradicional do Brasil, único com ações negociadas em Bolsa de Valores e dados totalmente auditados de forma independente, anunciou ontem os resultados para o segundo trimestre de 2010. Os dados são eloquentes:

 

• A receita de publicidade e outras foi de R$ 140,2 milhões no segundo trimestre de 2010, representando um crescimento de 43% sobre o mesmo período de 2009.

 

• No acumulado para o semestre o EBITDA (“earnings before interest, taxes, depreciation and amortization”; em português: "lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização”) totalizou R$ 45,5 milhões, o que representa um aumento de 35% sobre o segundo trimestre de 2009/

 

• A margem bruta foi de 70% no segundo trimestre 2010, e quando comparada ao mesmo período do ano anterior representa aumento de 5 pontos percentuais..

 

• O lucro líquido no segundo trimestre de 2010 foi de R$ 31,1 milhões, representando um aumento de 31% sobre o mesmo período de 2009.

 

• A base de assinantes pagantes atingiu 1,7 milhão no primeiro trimestre de 2010. Do total da base de clientes, 1,3 milhão eram assinantes de Banda Larga, representando um crescimento de 3% sobre a base de assinantes do primeiro trimestre de 2009. O número de assinantes pagantes de banda larga aumentou em 3,2% se comparado com o primeiro semestre do ano de 2009.

 

• Com relação ao crescimento de audiência, o UOL obteve crescimento acima do mercado. Em junho de 2010, atingiu 2.152 milhões de páginas vistas, crescimento de 26% na comparação com o mesmo período de 2009, com tempo médio de permanência online de 1h:15min:32seg, e 20,6 milhões de visitantes únicos de acordo com as medições do painel Home do IBOPE Nielsen Online.


Os dados completos estão no site de relacionamento com investidores do UOL

 

Quer seguir o blog no Twitter? Aqui

Por Fernando Rodrigues | Mídia
08h12 - 02/05/2009
 

 
 

The Economist… em português

 

 

 

Assinante da melhor e mais influente revista do planeta desde 1986, notei uma diferença recente na “Economist”. Como tenho preferido ler mais na web, pode ser que a mudança tenha me passado despercebida até nesse feriadão de 1º de Maio, quando folheei a edição em papel.

 

Eis o anúncio do relógio Hublot na edição de April 25th – May 1st, na página 12:

 

 


Agora, dê uma olhada no detalhe, na parte de baixo do anúncio:

 



Pois é. Em português. E remetendo para os endereços dos endinheirados brasileiros (Daslu, Oscar Freire e Iguatemi). Essa turma anda consumindo alto na crise. E lê a “Economist”.

 

 

Por Fernando Rodrigues | Mídia
09h00 - 18/11/2008
 

Sites locais suprem investigação dos jornais tradicionais nos EUA

Os sites locais de jornalismo em dezenas de cidades nos EUA estão derrubando políticos e funcionários públicos relapsos. O fenômeno foi detectado hoje pelo NYT (link completo abaixo), em reportagem na sua primeira página.

"Enquanto os jornais impressos dos EUA encolhem e cortam pessoal, e enquanto desaba a audiência dos noticiários das TVs, um novo tipo de operação jornalística baseada só na web está aparecendo em várias cidades, forçando os jornais a repercutir as investigações surgidas em primeiro lugar na internet".

Eis o link para o texto (em inglês) do NYT:

http://www.nytimes.com/2008/11/18/business/media/18voice.html?_r=1&ref=todayspaper

Por Fernando Rodrigues | Mídia
14h39 - 28/10/2008
 

Jornais impressos em queda nos EUA. Há motivos

Washington – A tiragem dos jornais impressos nos EUA caiu de novo. Em setembro, a média em dias de semana (segunda a sábado) nos seis meses até setembro passado foi de 38.165.848, uma redução de 4,6% sobre o mesmo período um ano antes.

Aos domingos, a queda foi maior: de 4,8%.

Muitas razões são apontadas para essa redução na tiragem dos jornais. A concorrência da internet é talvez a maior ameaça para os diários renovarem seu público.

Mas eis outra explicação publicada hoje (28.out) pelo “New York Times”: “Parece impossível para mim que vocês estejam cortando custos dramaticamente sem que isso tenha impacto na qualidade editorial do seu produto”. A frase é de Peter Appert, analista da indústria de jornais na Goldman Sachs. Ele completa: “Eu não posso provar que esses cortes estejam fazendo a tiragem cair, mas é certamente algo que se eu fosse um publisher de jornal me deixaria acordado de noite”.

Há notícias de cortes de jornalistas quase semanalmente. O “Los Angeles Times” anunciou segunda-feira a demissão de 75 jornalistas na sua redação. O “LA Times” já teve 1.300 jornalistas no passado. Agora, está com cerca de metade.

Em Washington, outra notícia sombria. Sam Zell, o chefe da Tribune Corp., que controla o “LA Times” e o “Chicago Tribune”, anunciou uma medida para conter custos: vai fundir as sucursais dos dois jornais na capital norte-americana.

O “Chicago Tribune” abriu sua sucursal em Washington em 1859, ainda durante a administração de Abraham Lincoln. O “LA Times” tem escritório na cidade desde 1914.

O total de jornalistas em Washington trabalhando para o “Chicago Tribune” e para o “LA Times” é de 42. Depois da fusão, serão apenas 12.

P.S.: depois de postada a notícia, veio mais essa:

Acaba o “Christian Science Monitor” diário

Com 18 correspondentes no exterior e grande prestígio, o centenário jornal “Christian Science Monitor” anunciou hoje que vai parar de imprimir sua versão diária em papel. Passará a ser semanal e pretende ampliar seu site na internet (www.csmonitor.com) com as notícias diárias.

A mudança entrará em vigor em abril do ano que vem.

Por Fernando Rodrigues | Mídia
12h13 - 13/10/2008
 

Receita de jornais na web empaca nos EUA

Deu no NYT de hoje e interessa a todos os internautas –e também a este blogueiro, pois a saúde do jornalismo na internet depende ainda de um robusto crescimento da publicidade na web.Pois o New York Times deu hoje más notícias.

 

- Depois de crescer por 17 trimestres consecutivos (desde 2003), a receita publicitária de jornais na internet nos EUA caiu pela primeira vez neste ano, no segundo semestre;

 

- a receita foi de US$ 777 milhões, o que representou uma queda de 2,4% sobre o mesmo período do ano passado, segundo a “Newspaper Association of America”.

 

O problema é localizado para os jornais. A publicidade geral subiu 7,6% na web no segundo trimestre deste ano nos EUA.

 

Há também um cenário melhor para os grandes jornais.O NYT teve um crescimento de 13% nas suas receitas publicitárias na web no segundo trimestre. O Times desistiu no ano passado de cobrar dos leitores interessados em ler o jornal na internet. A audiência disparou. A procura por anúncios, também.

 

Clique aqui para ler o texto original do NYT (em inglês)

Por Fernando Rodrigues | Mídia
18h19 - 24/09/2008
 

É energia renovável o assunto no mundo, não o petróleo...

O Brasil está mergulhado no debate sobre o pré-sal, por aqui só se fala em petróleo.

Mas essa é uma fonte de energia da qual o mundo quer se ver livre.No mundo desenvolvido, só se fala sobre como buscar outras fontes de energias renováveis (como o etanol brasileiro).

O "New York Times" acaba de lançar (ontem) um novo blog: "Green Inc", exatamente sobre energias renováveis. Eis o link: http://greeninc.blogs.nytimes.com

Nos posts de lançamento, carros movidos a hidrogênio, a decisão do Senado dos EUA de dar incentivos fiscais para quem usar energia solar e a onda de roubos na Califórnia, onde os gatunos estão surrupiando painéis de energia solar.

Por Fernando Rodrigues | Mídia
01h13 - 07/09/2008
 

O NYT, a velha senhora, encolhe

Enquanto o “Wall Street Journal” de Rupert Murdoch lança revista chique e gorda de anúncios, o jornal de maior prestígio no mundo, “The New York Times” www.nytimes.com encolhe.

 

Na sexta-feira o NYT anunciou que vai cortar o seu número de cadernos no mês que vem. O jornal passará a ter, na maioria dos dias, apenas 4 cadernos. Mais ou menos a mesma morfologia de 1997, quando com muita festa foi anunciado o aumento para seis cadernos e a impressão de fotos em cores.

 

O caderno de esportes será incorporado na parte final do de economia (Business), de terça a sexta. E o caderno de cidades (Metropolitan) será publicado no final do caderno A (que já tem notícias nacionais, de política, e internacionais).

 

Recentemente o NYT cortou um pouco mais de 100 vagas de jornalistas. O jornal deve ter hoje cerca de 1.200 jornalistas, entre repórteres, editores e correspondentes nos EUA e no exterior. É possivelmente um dos maiores do planeta em número de profissionais.

Por que há cortes? O NYT está com perda constante de receita. Em julho, a receita publicitária caiu 12% em relação ao mesmo mês do ano passado. O CEO do jornal, Arthur “Pinch” Sulzberger, enviou uma nota para os editores dizendo que “não haverá perda de conteúdo para os leitores” com o enxugamento do número de cadernos.

 

A ver. O NYT tem um plano para cortar US$ 130 milhões neste ano nos seus custos. E mais US$ 100 milhões no ano que vem.

 

Bottom line: a receita publicitária cai no jornal impresso e não sobe proporcionalmente na operação online. O NYT tem caprichado na sua versão na web, mas os anunciantes até hoje não se animaram.

Por Fernando Rodrigues | Mídia
 

WSJ.magazine – beleza americana

Saiu neste sábado (6.set) a revista do jornal “The Wall Street Journal”. Chama-se " WSJ.". Aparentemente, será mensal. Está linda e lotada de anúncios. Apartamentos em Nova York a partir de US$ 8,5 milhões. Uma maserati a partir de US$ 125,7 mil. E por aí vai.

 

O designer Roland Mouret fez um vestido com páginas do “WSJ” para a modelo Diana Dondoe enfeitar a capa:

 

 

Polêmico, Mouret dá uma entrevista e proclama o fim “em breve” dos eventos de moda tal como existem hoje.

 

A revista é impressa em papel de gramatura especial, brilhante, e lombada quadrada. Chique. Entre os colaboradores está a fotógrafa Mary McCartney, filha do beatle. Na página 46, a reportagem “Running Alaska” traz o perfil de uma maratonista mãe de cinco filhos. Ela mesma, Sarah Palin, governadora do Alasca. A revista já estava impressa quando ela foi escolhida candidata a vice-presidente na chapa republicana de John McCain. Eis a foto que ilustra o texto:

 

 

A "WSJ." também tem Brasil. Na página 48, para falar sobre “festas, lugares e acontecimentos pelo mundo nesta estação”, 8 cidades foram escolhidas, inclusive “Sao Paolo”, assim mesmo, com a grafia errada. A dica é sobre a “instalação vazia” (The Void) de Ivo Mesquita na 28ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo. “Não há arte, meramente um espaço vazio contemplando a idéia de arte. Talvez isso seja o suficiente?”, pergunta a revista.

 

Anote: a próxima edição da " WSJ." sai em 6 de dezembro.

Por Fernando Rodrigues | Mídia
09h22 - 10/04/2007
 

Cesar Maia: público da internet

já passou o dos jornais impressos

 

Aficcionado pelas novas mídias, o prefeito do Rio, Cesar Maia, postou hoje (10/abril/2007) um interessante comentário em seu boletim diário na internet, o “ex-blog”.

 

Pela relevância, eis o que disse o prefeito pefelista (ops, democrata) do Rio:

 

01. O IBGE apresentou -em base ao PNAD de 2005- várias informações sobre o uso de Internet. A boa parte da mídia impressa, defensivamente, destacou que só 21% das pessoas usam internet no Brasil. Bem, lembro que os leitores diários de jornais são 20%. Isso no Rio. No Brasil certamente menos. Diários quer dizer que lêem jornais todos os dias. Internet -quem usa- usa todos os dias. Em pouco tempo a internet igualou os jornais. Jornais em 200 anos e Internet em 10 anos por aqui. Ambos se concentram mais nos que tem um nível de instrução maior. Por definição, pois é exigida uma capacidade de ler mais que uma frase e entendê-la.

       

02. Mas os números do IBGE de uso de Internet para as cidades mais importantes do país, supondo que nelas estejam os níveis mais altos de escolaridade,  são impressionantes e mostram o alcance espetacular da Internet.

       

03. Entre os que têm entre 11 e 14 anos de escolaridade, 43% usam normalmente Internet. Entre os que têm mais de 15 anos de escolaridade, 76% usam Internet.

       

04. Vamos ao caso da cidade do Rio de Janeiro. Garantidamente, todos os que NASCERAM no RIO a partir de 1995, excluídos claro os problemas de saúde, terão em 2015, pelo menos 11 anos de estudo, independente da classe social.

       

05. Hoje -segundo o IBGE (pesquisa mensal de emprego) - a cidade do Rio comparada com as regiões metropolitanas -janeiro de 2007- é a que tem maior nível de escolaridade. Quem está ocupado tem em média 11 anos de escolaridade.

       

06. Hoje, na cidade do Rio- entre os que nasceram no Rio -se somarmos os que estão ocupados com os que estudam e já estão no segundo segmento do primeiro grau- garantidamente temos no mínimo uns 50% usando Internet. Esse número vai crescendo hoje na base de um ponto ao ano e este 1% vai crescendo um pouco a cada ano. Em 2015 teremos entre os que nasceram no Rio, com mais de 12 anos de idade, pelo menos 75% usando Internet. Pelo menos.

       

07. Isso sim será um problema geracional/comunicacional entre os mais velhos - e os mais jovens. Como geracional este Ex-Blog quer se referir também a quem precisa fazer comunicação pública, ou seja, políticos, meios de comunicação, agências de publicidade, empresas, lideranças sociais, etc... Quem fizer uma comunicação velha, digamos industrial, quem não aprender a falar estando na internet, falará para si mesmo.

       

08. Como dizia Chacrinha: quem não entender aquela linguagem e com isso não se comunicar, se trumbicará.

Por Fernando Rodrigues | Mídia
09h26 - 27/07/2006
 

Rede Globo detalha cobertura eleitoral

Texto de anúncio em 2 páginas hoje nos jornais, da TV Globo:

"EU PROMETO. Isenção, transparência e compromisso com a verdade. Fazer a maior cobertura jornalística que uma eleição já teve no Brasil. Mobilizar mais de 4.500 profissionais da Rede Globo em todo o país para revelar a notícia em primeira mão, estimular o debate e aproximar o Brasil da sua casa com reportagens especiais. Esse é o nosso compromisso. Afinal, a escolha do canal de TV também é um exercício de democracia".

Na cobertura das eleições de 2006, a Globo pretende fazer debates com os candidatos a governos estaduais (dia 26 de setembro, uma terça-feira, "no horário nobre") e com o presidenciáveis (dia 29 de setembro, quinta feira, "no horário nobre").

A TV Globo também terá a "Caravana JN", com Pedro Bial percorrendo "15 mil km em todas as regiões do Brasil, a bordo de um barco e de um ônibus especialmente equipado". Pesquisas? "Toda semana no Jornal Nacional".

É isso aí.

Por Fernando Rodrigues | Mídia
06h30 - 18/06/2006
 

Constatação

Os 3 jornais mais importantes do país noticiam nas suas edições de hoje (domingo) a morte do humorista Bussunda. "Folha" e "Globo" dão foto no alto de suas primeiras páginas. O "Estadão" dá apenas na parte de baixo.

Os jornais servem para ordenar as notícias para os leitores, certo?

Por Fernando Rodrigues | Mídia
06h25 - 10/06/2006
 

Os blogs a caminho do
establishment nos EUA

Deu hoje no NYT (para leitores cadastrados). Uma descrição sobre um encontro de blogueiros de política nos EUA: "They may think of themselves as rebels, separate from mainstream politics and media. But by the end of a day on which the convention halls were shoulder to shoulder with bloggers, Democratic operatives, candidates and Washington reporters, it seemed that bloggers were well on the way to becoming — dare we say it? — part of the American political establishment".

A frase está numa reportagem sobre a "YearlyKos 2006 Convention", uma reunião de 3 dias com cerca 1.000 blogueiros (isso mesmo: mil blogueiros!) de todos os tipos em Las Vegas. O governador local apareceu, assim como muitos políticos de expressão nacional. Todos falaram mal da cobertura política da grande mídia a partir de Washignton. Enfim, o básico. Alguma semelhança com o Brasil? Se não tem similitude total, é só uma questão de tempo.

Por Fernando Rodrigues | Mídia
09h02 - 09/06/2006
 

Circulação dos maiores
jornais brasileiros em abril

César Maia divulgou hoje, no boletim do seu ex-blog, o número médio diário de exemplares vendidos dos principais jornais brasileiros no mês de abril, todos auditados pelo IVC. Vale a pena conhecer, sobretudo neste período pré-eleitoral.

Folha de SP: 296.754
Globo: 258.041
Extra: 226.175
Estado de SP: 215.001
Zero Hora: 158.168
Correio do Povo: 156.629
Diário Gaúcho: 152.770
Super Noticia: 137.663
Lance: 131.357
DIA: 119.591
Meia Hora: 111.719
Agora: 75.549
Gazeta: 70.800
JB: 64.826
Diário de SP: 64.114
Estado de Minas: 63.741
Jornal da Tarde: 59.440
Valor: 50.256
Correio Brasiliense: 49.354
Expresso: 35.122
A Tarde: 32.623
Diário da Tarde: 13.166

César Maia comenta: “Curiosidade: Jornais populares do Rio: 492.607. De S. Paulo: 199.103”.

Este blog faz outro comentário: a população brasileira, segundo o “populômetro” na página inicial do IBGE é de 186,4 milhões. Os eleitores são, aproximadamente, 122 milhões. E os jornais impressos, heim?

Por Fernando Rodrigues | Mídia
20h34 - 12/03/2006
 

Os blogs avançam nos EUA

Deu hoje no “Globo” (para leitores cadastrados): “Blogs, a nova mania que dá dinheiro nos EUA”. A reportagem é de Helena Celestino. A seguir, o primeiro parágrafo do texto:

“NOVA YORK. Como milhares de universitários, Jen Chung, 29 anos, mandava e-mails para seu grupo de colegas no curso de Economia da Columbia University, com histórias interessantes de Nova York, fazendo críticas de restaurantes, listas dos melhores shows de rock, descobrindo bares novos, contando o dia-a-dia da cidade. Já formada e entediada com seu trabalho numa agência de publicidade, criou um blog com seu ex-colega de faculdade, Jacke Dobkin, também de 29 anos. Com a contribuição de milhares de “olheiros” pela cidade, acabaram fazendo um completíssimo serviço de Nova York: “Gothamist” http://www.gothamist.com/  virou uma referência e hoje ocupa o 90 lugar no ranking de 27 milhões de blogs que povoam a Internet e chegam a faturar US$ 1,5 milhão por ano”.

Esses “27 milhões de blogs”, bien sûr, são apenas os “.com”. Nada de “com.br” e outras nacionalidades. Em resumo, a blogosfera é bem maior.

Abaixo, outro post sobre texto também publicado no “Globo” sobre o uso de blogs na política.

Por Fernando Rodrigues | Mídia
 

Um blog, nos EUA, arrecadou sozinho
US$ 500 mil para o Partido Democrata

No ano passado, o blog Daily Kos arrecadou cerca de US$ 500 mil para candidatos do Partido Democrata. É isso mesmo, meio milhão de dólares. Num setor do blog, encontra-se um link “Help the Democratic Party to raise the money...”. Vai direto para az página da sigla.

No Brasil, qual partido pensa seriamente a respeito...? Só pensam nessa baboseira de financiamento público (quando por aqui já existe um dos maiores financiamentos públicos do planeta, com mais de R$ 500 milhões de renúncia fiscal para pagar as propagandas de rádio e de TV).

A informação sobre o Daily Kos está no Globo (para cadastrados). O blog é de Markos Moulitsas Zúniga, de 34 anos.

Por Fernando Rodrigues | Mídia
Perfil

Fernando Rodrigues, jornalista, nasceu em 1963. Fez mestrado em jornalismo internacional na City University, em Londres, Reino Unido (1986).

Na Folha desde 1987, foi repórter, editor de Economia, correspondente em Nova York (1988), Tóquio (1990) e Washington (1990-91). Na Sucursal de Brasília da Folha desde 1996, assina a coluna "Brasília", na página 2 do jornal, às quartas e sábados.

Mantém uma página de política no UOL desde o ano 2000 - com informações estatísticas e analíticas sobre eleições, pesquisas de opinião e partidos políticos. Em 2007/08 recebeu uma fellowship da Fundação Nieman, na Universidade Harvard (Cambridge, MA, nos Estados Unidos).

Regras de uso

Busca
Neste blog Na Web

Histórico