UOL Notícias Blogs
 

Blog

Cobertura política, eleitoral, pesquisas e notícias do poder

19h49 - 25/06/2010
 

Caiado, do DEM, propõe romper aliança com Serra

O deputado federal Ronaldo Caiado (DEM-GO), vice-líder da legenda na Câmara e um dos principais dirigentes demistas, acaba de declarar que vai propor o rompimento da aliança nacional com o PSDB. Caiado está irritado com a escolha do senador Álvaro Dias (PSDB-PR) para ser o candidato a vice-presidente na chapa encabeçada por José Serra (PSDB).

 

No dia 30 de junho, quarta-feira da semana que vem, o DEM fará sua convenção nacional em Brasília. “Sou 100% a favor de o Democratas na convenção não fazer uma aliança nacional com o PSDB”, disse Caiado há poucos minutos.

 

O caldo entornou um pouco mais não só porque o DEM foi preterido pelo PSDB, mas também pela forma como a notícia chegou. O clima ficou envenenado porque Caiado interpretou que os tucanos esconderam a decisão. “Na hora do jogo do Brasil [hoje, contra a seleção de Portugal], um assessor me disse que o Roberto Jefferson [deputado cassado do PTB] anunciou no Twitter que o vice do Serra seria o Álvaro Dias. Na mesma hora eu liguei para o Rodrigo Maia [deputado e presidente nacional do DEM]. O Rodrigo checou e me ligou de volta dizendo que o Sérgio Guerra [senador e presidente nacional do PSDB] havia dito para ele ficar calmo, que isso ainda não estava decidido. Ou seja, eles não tiveram coragem de nos comunicar a decisão”, relata Caiado.

 

“O poder do Serra de desorganizar as coisas é fora do comum. O Álvaro Dias não acrescenta nada e desagrega muito”, declara Caiado.

 

O deputado goiano –que foi candidato a presidente da República em 1989– está muito irritado: “Só convivo em ambientes nos quais me respeitam. Sou um político desencabrestado. Não admito esse tipo de comportamento”.

 

A respeito de propor não haver coligação com o PSDB, disse: “Para que ser caudatário de uma candidatura assim? Se na campanha nos tratam assim, imagine depois... Se não tiver um freio de arrumação esse PSDB jamais vai respeitar o Democratas... Não nos podem tratar como um partido satélite”.

 

Indagado se não seria prejudicado em Goiás, pois é candidato a mais um mandato de deputado, respondeu: “Eu não ganho votos apoiando o Serra. Eu transfiro votos pra ele”.

 

P.S.: por volta das 21h da sexta-feira (25.jun.2010), o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), escreveu em seu perfil no microblog Twitter: "O DEM é uma merda!!!". O DEM, em tese, está aliado ao PSDB e ao PTB para tentarem eleger Serra presidente. Bombeiros do PSDB saíram a campo. Jefferson retirou o tweet do ar. Mas muita gente copiou a imagem, como se vê a seguir:

 

 


Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fernando Rodrigues
 

TO: Siqueira Campos (PSDB) 40% x 38% Gaguim (PMDB)

no Tocantins Dilma vence Serra por 44% a 32%

O Ibope divulgou a 1ª pesquisa do ano sobre as eleições no Tocantins. Na disputa pelo governo do Estado, o candidato oposicionista, Siqueira Campos (PSDB), tem 40% das intenções de voto. O atual governador, Carlos Gaguim (PMDB), tem 38%. Como a diferença entre os candidatos (2 pontos) é menor que a margem de erro da pesquisa (3 pontos, para mais ou para menos), há empate técnico.
 
O 3° colocado é Paulo Mourão (PT), com 7%. Entre os entrevistados, 15% vão anular, votar em branco ou estão indecisos. A pesquisa foi feita de 19 a 21.jun.2010 com 812 eleitores. Seu registro no TRE-TO é o 6587/2010.

Questionados sobre em quem não votam, de jeito nenhum, os tocantinenses atribuíram o maior índice de rejeição a Paulo Mourão: 33%. Siqueira Campos teve 29%. Gaguim, 22%. Não responderam à questão 17% dos entrevistados e 9% votariam em qualquer dos 3 candidatos. Aqui, quadros com os dados da pesquisa Ibope e de 2 pesquisas feitas em 2009 sobre a eleição para governador do Tocantins.

Senador
Os 2 senadores eleitos pelo Tocantins, se as eleições fossem hoje, seriam o ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) e João Ribeiro (PR), informa o Ibope. Miranda governou o Estado até setembro de 2009, quando foi cassado por conta de acusações como compra de votos e abuso do poder. Ele obteve 39% das intenções de voto. João Ribeiro, atual senador pelo Tocantins, teve 38%. Aqui, mais pesquisas sobre a eleição para senador pelo Tocantins.

Presidente
Para presidente da República, Dilma Rousseff (PT) lidera entre os tocantinenses com 44% dos votos. José Serra (PSDB) tem 32%. Marina Silva (PV), 10%. Brancos, nulos e indecisos são 14% do total. O Tocantins tem 0,69% dos eleitores do Brasil, segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) referentes a abr.2010.


Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fábio Brandt
08h42 - 24/06/2010
 

Políticos são últimos colocados em ranking de credibilidade

pesquisa avaliou confiança da população em 20 profissões

o 2° grupo menos confiável está 36 pontos à frente dos políticos


Pesquisa feita no Brasil e em outros 17 países indica que a confiança depositada pelos eleitores nos políticos diminuiu de 2009 para 2010. O estudo, conduzido pelo grupo alemão GfK, avaliou a credibilidade de 20 categorias profissionais. A classe política só não caiu no ranking porque já ocupava o último lugar.

Na classificação internacional de 2009, políticos eram considerados confiáveis por 18% dos entrevistados. Em 2010, apenas 14% tiveram essa opinião. No Brasil, a queda foi maior: de 16% para 11%, informa o repórter do UOL Fábio Brandt. Quer dizer: os políticos brasileiros estão 36 pontos atrás do 2° grupo menos confiável, os executivos de bancos, que têm a confiança de 47% das pessoas.

Abaixo, quadros com os índices de confiabilidade de cada profissão avaliada pelas pesquisas de 2009 e de 2010:






A pesquisa de 2010 foi realizada de 1 a 29 de março, com 18,8 mil pessoas, sendo mil brasileiras. Em 2009, foram 17,2 mil entrevistados (mil brasileiros).

Participaram das pesquisas de 2009 e de 2010 Brasil, EUA, Itália, França, Espanha, Índia, Suécia, Colômbia, Portugal, Bélgica, Reino Unido, Alemanha, Polônia, Romênia, Bulgária, República Tcheca e Hungria. Em 2009 também participaram Grécia, Rússia e Suíça. Em 2010, entraram Holanda e Turquia.



Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fernando Rodrigues
16h38 - 23/06/2010
 

Pesquisa é péssima notícia para tucanos

Depois de ampla exposição na mídia, José Serra (PSDB) não conseguiu ampliar seu percentual de intenção de votos, segundo pesquisa Ibope patrocinada pela CNI e divulgada hoje (23.jun.2010), detalhada no post abaixo. Pior ainda, o tucano viu, pela primeira vez nesse levantamento, sua adversária direta, Dilma Rousseff (PT), ficar à sua frente.

Dilma pontuou 40% na CNI/Ibope. Serra teve 35%. Marina Silva (PV) está com 9%.

Trata-se de uma das piores notícias que o candidato tucano poderia ter nesta fase da campanha. Havia grande expectativa no PSDB de que Serra pudesse neste mês de junho manter-se empatado com Dilma – ou até ultrapassá-la por causa da propaganda em rede nacional apresentada pelos tucanos, além de dezenas de inserções de 30 segundos.

Em maio, Dilma teve forte exposição nos programas partidários do PT. E a candidata subiu. Serra repetiu a receita, mas não deu certo.

O PT guardou estrategicamente dezenas de comerciais partidários estaduais para divulgação no mês de junho. Fez uma operação de “fogo de encontro” e conseguiu, mostra a CNI/Ibope, estancar um eventual avanço de Serra.

É claro que a campanha ainda vai longe e nada está definido. Mas é muito confortável para um candidato começar o horário eleitoral (em 17 de agosto) já estando na frente nas pesquisas de opinião. Essa é a situação de Dilma no momento.



Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fernando Rodrigues
 

Ibope: Dilma Rousseff (PT) 40% x 35% José Serra (PSDB)

com relação à última pesquisa, petista cresceu 7 pontos; tucano caiu 3.

A 2ª pesquisa CNI/Ibope do ano foi divulgada hoje (23.jun.2010): Dilma Rousseff (PT) tem 40% das intenções de voto, contra 35% de José Serra (PSDB). Marina Silva (PV) aparece com 9%. Votos brancos e nulos são 6% do total. Não quiseram ou não souberam responder à pergunta 10% dos entrevistados.

A sondagem foi feita de 19 a 21.jun.2010 com 2.002 eleitores em 140 municípios. Está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o n° 16292/2010. Sua margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Com relação à última pesquisa CNI/Ibope (realizada de 6 a 10.mar.2010), Dilma Rousseff (PT) cresceu 7 pontos percentuais (saiu de 33% e alcançou 40%). José Serra caiu 3 pontos (de 38% para 35%). Marina Silva tinha 8% e oscilou 1 ponto para cima, dentro da margem de erro. Aqui, quadro com todas as pesquisas de intenção de voto para a eleição presidencial.

As pesquisas de março e junho só são comparáveis no cenário em que aparecem apenas os 3 principais concorrentes ao Planalto – ele é o único que foi testado nas duas. Mas a pesquisa divulgada hoje (23.jun.2010) já inclui os candidatos nanicos. Quando eles entram na disputa (como, de fato, deve ocorrer na eleição de 3.out.2010), Dilma oscila 1,8 ponto percentual para baixo, menos que os 2 pontos da margem de erro da pesquisa, sem registrar, portanto, queda. Já Serra cai 2,7 pontos, mais que a margem de erro.




2° turno
A pesquisa também avaliou uma hipótese de 2° turno entre Dilma e Serra e constatou um revés na disputa. Em março, Serra vencia Dilma por 44% a 39%. Agora, Dilma vence por 45% a 38%. Abaixo, quadro comparativo entre as simulações de 2° turno das 2 pesquisas. Aqui, sondagens anteriores sobre o 2° turno da eleição presidencial.




Espontânea

Os resultados acima são da pesquisa estimulada (na qual o pesquisador apresenta ao entrevistado uma lista com o nome dos candidatos). Na modalidade espontânea (em que o eleitor escolhe seu candidato sem ver nenhuma relação de nomes), Dilma Rousseff (PT) teve 22% da preferência, Serra teve 16% e Marina, 3%.

Com relação à pesquisa espontânea de março, o presidente Lula (PT), que não é candidato, caiu 11 pontos (de 20% para 9%) e perdeu 2 posições nas menções espontâneas. O 1° lugar ficou para sua apadrinhada, Dilma, que cresceu 8 pontos (saiu de 14% e atingiu 22%). O 2° lugar ficou para o oposicionista, Serra, que cresceu 6 pontos (tinha 10% das menções espontâneas e atingiu 16%).

O percentual de eleitores indecisos na modalidade espontânea continua superior à soma dos percentuais obtidos pelos 2 principais candidatos. Estão indecisos 40% dos eleitores (em março, eram 42%). Vão anular ou votar em branco 7%, mesmo percentual de março.

Abaixo, dados completos das pesquisa espontâneas de junho e março:




Imagem de Lula
A pesquisa de junho também perguntou aos entrevistados suas opiniões sobre o presidente Lula e seu governo. A aprovação à maneira com que Lula governa atingiu recorde para a série de pesquisas CNI/Ibope, informa o relatório do estudo. Entre os entrevistados, 85% aprovam o método com que Lula governa (2 pontos a mais que em março) e 11% reprovam (2 pontos a menos que em março).

A confiança dos eleitores no presidente também bateu recorde. Disseram que confiam em Lula 81% dos entrevistados, superando o melhor índice até então alcançado: 80% em março de 2003, no início do mandato, e em março de 2009. O percentual dos que não confiam em Lula também é o menor da série de pesquisas: apenas 15% (em março de 2003 era 16%).

Os eleitores que sabem do apoio de Lula à Dilma aumentaram: passaram de 58%, em março, para 73%, em junho, indica a pesquisa. Mas a combinação da boa avaliação de Lula com o conhecimento de sua candidata pode não ter rendido o resultado esperado pelo presidente. Em março 53% dos entrevistados disseram preferir votar no candidato indicado por ele. Em junho, o percentual caiu para 48%.



Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fernando Rodrigues
 

SE: Marcelo Déda (PT) 41% x 34,4% João Alves (DEM)

Serra e Dilma estão tecnicamente empatados entre os sergipanos

Pesquisa sobre a eleição para governador em Sergipe realizada de 15 a 17.jun.2010 pelo Dataform mostra que o atual governador Marcelo Déda (PT) está na frente, com 41% das intenções de voto. O ex-governador João Alves Filho (DEM) tem 34,4%. Juntos, outros candidatos reúnem 7,3% dos votos.

Entre os 1.067 entrevistados pelo instituto, 17,4% estão indecisos, não souberam responder ou declararam voto branco ou nulo. O n° de registro da pesquisa no TRE-SE é o 5829/2010.

Como margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos, Déda pode ter de 38% a 44% dos votos. Seu adversário, João Alves, de 31,4% a 37,4%. Ou seja: mesmo quando o erro abaixa ao máximo a estimativa de votos de Déda (38%) e aumenta ao máximo a de João Alves (37,4%), o atual governador continua 0,6 ponto à frente.

Apesar disso, o petista deve enfrentar um 2° turno. Para vencer no 1°, ele deveria ter mais votos que seus adversários somados, mas tem 41% contra 41,7% dos outros candidatos. A lei brasileira estabelece que, para ser eleito no 1º turno, um candidato a governador precisa obter, pelo menos, 50% mais um dos votos válidos (que são apenas aqueles dados aos candidatos;  votos nulos e em branco não são considerados “válidos” nessa contagem).

Com relação a última pesquisa Dataform (realizada de 11 a 13.mai.2010), não houve variação maior ou menor que a margem de erro na intenção de voto atribuída a nenhum dos candidatos. Isso significa que, segundo a pesquisa, ninguém ganhou ou perdeu preferência do eleitor. Déda, por exemplo, tinha 39,8% e foi para 41% (oscilou 1,2 ponto percentuais, menos que os 3 pontos da margem de erro). João Alves saiu dos 34,9 e ficou em 34,4 (oscilou 0,5 ponto, também menos que o erro). Aqui, quadro completo com as variações de intenção de voto para a eleição do Sergipe.

Presidente

O instituto também perguntou aos eleitores sergipanos em quem eles votarão para presidente da República. José Serra (PSDB) teve 35% da preferência e Dilma Rousseff (PT), 33,3%. Por conta da margem de erro de 3 pontos, eles estão tecnicamente empatados: o tucano pode ter de 32% a 38%; a petista pode ter de 30,3% a 36,3%.

Marina Silva (PV) teve 9,6%. Eymael (PSDC) e Ivan Pinheiro (PCB) tiveram, juntos, 1% dos votos. Brancos, nulos e indecisos foram 21,2% dos entrevistados. O Sergipe tem 1,04% do eleitorado brasileiro, segundo dados informados em abr.2010 pelo TSE (Superior Tribunal Eleitoral).



Quer seguir o blog no Twitter?
 
Aqui
.

Por Fábio Brandt
22h38 - 22/06/2010
 

Brasil profundo

Governador distribui bicicletas em ano eleitoral

Aliados de Carlos Gaguim (PMDB) doaram bicicletas e pediam votos para reelegê-lo

Justiça mandou e PF apreendeu 1.250 bicicletas no Estado do Tocantins


Há um potencial escândalo em curso no Tocantins, o mais jovem Estado brasileiro. O governador local, Carlos Gaguim (PMDB), está sendo acusado de distribuir bicicletas como forma de promoção pessoal. Ele é candidato à reeleição.

A equipe da campanha adversária de Gaguim, comandada pelo pretendente ao governo tocantinense  Siqueira Campos (PSDB), divulgou um vídeo comprometedor (abaixo). As imagens e o áudio demonstram que aliados de Gaguim pedem apoio à reeleição do governador durante distribuição de bicicletas de um programa do governo estadual. O fato ocorreu neste mês, em 14.jun.2010.

Outro partido da oposição, o PTN (coligado ao PSDB no Tocantins), alegou que a ação dos aliados de Gaguim tinha fim eleitoral e pediu à Justiça Eleitoral a suspensão da distribuição e a apreensão dos bens. Em 13.jun.2010, o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) tocantinense expediu liminar (decisão provisória) favorável ao PTN. Em 21.jun.2010, a Polícia Federal informou ter apreendido 1.250 bicicletas que o governo ainda iria entregar. Hoje (22.jun.2010), o TRE negou pedido do governo para manter a distribuição de bicicletas.

 
Vídeos
As imagens divulgadas pelo PSDB foram captadas no município de Natividade, em 14.jun.2010. Nas cenas do vídeo, o prefeito da cidade, Joaquim Rodrigues Ferreira (PV), descrevendo a entrega das bicicletas como um feito de Gaguim (PMDB). Ele anunciou também a presença no local de vereadores que apoiam a reeleição do governador peemedebista.




Em outro trecho da gravação, o presidente da Câmara Legislativa de Natividade, Itamar Borges (DEM-TO) exalta outros equipamentos entregues pelo governo estadual à cidade: um ônibus e uma ambulância. “Por que estou com Gaguin? Porque o Gaguin já nos deu o ônibus”, explica o vereador.




Explicações
A assessoria de comunicação do governo do Tocantins admitiu que a distribuição das bicicletas não estava prevista no orçamento de 2010. Mas afirmou que não houve violação da Lei Eleitoral, porque tudo foi pago pela fundação que administra o Projeto Pioneiros Mirins, e não pelo Estado. Em ano de eleição a administração pública só pode distribuir bens, valores ou benefícios à população em caso de emergência, calamidade pública ou quando a ação estiver prevista no orçamento.

No seu artigo 73, parágrafo 10, a Lei 9.504 estabelece: “No ano em que se realizar eleição, fica proibida a distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios por parte da Administração Pública, exceto nos casos de calamidade pública, de estado de emergência ou de programas sociais autorizados em lei e já em execução orçamentária no exercício anterior, casos em que o Ministério Público poderá promover o acompanhamento de sua execução financeira e administrativa”.

O Pioneiros Mirins é promovido pelo governo tocantinense desde 1989. Atualmente, oferece atividades sociopedagógicas para 42.474 jovens de 6 a 14 anos. Cada beneficiado também recebe bolsa mensal de R$ 48. As bicicletas, segundo o governo, estavam sendo “emprestadas” e não doadas aos beneficiários do programa. Quando parassem de ser atendidos por ele, deveriam devolver os veículos.

Após ter seu recurso negado pelo TRE-TO, em 22.jun.2010, a Procuradoria Geral do Tocantins comunicou que irá recorrer ao TSE para que o governo possa continuar com a distribuição.

Na próxima 4ª-feira (30.jun.2010) Guaguin deve ser confirmado como candidato à reeleição na convenção estadual do PMDB. No mesmo dia, o PSDB oficializará Siqueira Campos como candidato.

Histórico
O Tocantins, criado em 1988, é um Estado cuja curta histórica é marcada por escândalos com políticos encrencados. Carlos Gaguin (PMDB) foi eleito governador em 8.out.2009 por via indireta após o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) cassar o mandato de seu colega de partido Marcelo Miranda (PMDB), acusado de abuso de poder, compra de votos e uso indevido dos meios de comunicação social nas eleições de 2006.

Entre as irregularidades cometidas por Miranda, o tribunal destacou a distribuição de 80 mil óculos. Agora, ironicamente, seu sucessor está sendo acusado de doar ilegalmente bicicletas durante o processo eleitoral.

Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fábio Brandt
 

MG e GO terminariam no 1° turno, indicam pesquisas

Em Minas, Hélio Costa (PMDB) tem 41%; Anastasia (PSDB), 19,75%

Em Goiás, Perrillo (PSDB) tem 54,1%; Iris Rezende (PMDB), 39,7%


Sondagem da CP2 Consultoria sobre a eleição em Minas Gerais mostra que o senador Hélio Costa (PMDB) seria eleito governador no 1° turno com 41% dos votos. Em 2° lugar, o atual governador, Antonio Anastasia (PSDB), tem 19,75%.

O estudo da CP2 foi feito de 9 a 13.jun.2010. O instituto Sensus obteve resultado parecido, colhendo dados em 10 e 11.jun.2010. O Blog também divulgou os resultados da pesquisa Sensus.

Outros concorrentes também aparecem na pesquisa CP2. Zezé Perrella (PDT) tem 4,86%, Vanessa Portugal (PSTU), 1,75%, José Fernando (PV), 0,68% e Maria da Consolação (PSOL), 0,58%. Dos 2.056 entrevistados, 10,6% não votaria em nenhum desses candidatos, 3,84% votaria em qualquer um deles e 16,94% estão indecisos, vão anular ou votar em branco. A margem de erro é de 2,19 pontos percentuais e o n° de registro no TRE-MG é 36179/2010. Aqui, pesquisas de vários institutos sobre a eleição em Minas Gerais.

Em Goiás, pesquisa do Instituto Ecope aponta vitória no 1° turno do senador Marconi Perrillo (PSDB), com 54,1% dos votos. Iris Rezende (PMDB) chega em 2° com 39,7%. Vanderlan Cardoso (PR) tem 4%, Enio Tático (PRP), 1,7% e Washington Fraga (PSOL), 0,5%. A pesquisa não apresenta dados sobre votos nulos e brancos nem sobre eleitores indecisos.

O Ecope entrevistou 6.470 eleitores de Goiás de 2 a 18.jun.2010. A margem de erro é de 2,7 pontos percentuais e o n° de registro, 23963/2010. A última pesquisa do instituto (feita de 10 a 25.abr.2010) mostrava um cenário parecido: Perrillo também vencia no 1° turno, com 54,1%, e Rezende ficava em 2° com 42%. Dados completos das pesquisas feitas em Goiás por diversos institutos estão na página de Pesquisas de Opinião do UOL.

Como se ganha no 1º turno?
Para ser eleito no primeiro turno, um candidato a prefeito (em cidades com mais de 200 mil eleitores), a governador ou a presidente precisa obter, pelo menos, 50% mais um dos votos válidos. "Votos válidos", segundo a lei brasileira, são apenas os dados aos candidatos. Portanto, votos nulos e em branco não são considerados válidos para efeito dessa contagem.

Para saber se há chance de uma eleição terminar no primeiro turno, basta verificar se o candidato que está em 1º lugar nas pesquisas registra um percentual superior à soma dos percentuais de todos os seus adversários.

Por exemplo, em Minas Gerais, Hélio Costa (PMDB) tem 41%. Todos os adversários somados têm 27,62%. Ou seja, Costa venceria hoje no 1º turno.

No caso de Goiás, Marconi Perilo (PSDB) aparece com 54,1%. Os adversários do tucano, somados, têm 45,9%. Também nesse caso, o candidato do PSDB ganharia a disputa no primeiro turno se a eleição fosse hoje.

Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fábio Brandt
 

Mãe de Patrus o autoriza a ser vice

Dona Maria Tereza Patrus Ananias diz que o filho, filiado ao PT, pode fortalecer a candidatura de Hélio Costa (PMDB), se decidir ser vice-governador. A notícia foi publicada hoje (22.jun.2010) pelo jornal “Estado de Minas”.

No domingo (20.jun.2010), Patrus Ananias declarou que faltava a benção de sua mãe para entrar na chapa de Hélio Costa e revelou que a encontraria na 4ª-feira (23.jun.2010), em Bocaiúva, norte de Minas. O jornal se antecipou e visitou dona Maria Tereza antes de Patrus.

Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fábio Brandt
19h04 - 21/06/2010
 

SP: Alckmin (PSDB) 50% x 17% Mercadante (PT)

eleição para o governo paulista terminaria no 1° turno

Pesquisa feita pelo Ipespe sobre a eleição para governador de São Paulo indica que Geraldo Alckmin (PSDB) tem 50% das intenções de voto contra 17% de Aloísio Mercadante (PT). Se confirmados nas urnas, em 3.out.2010, os números garantem ao tucano vitória no 1° turno, pois ele tem mais que a metade dos votos válidos.

Celso Russomanno (PP) aparece com 12% das intenções de voto e Paulo Skaf (PSB), com 2%. Os votos considerados não válidos (de entrevistados que não responderam à questão, estão indecisos ou vão anular ou votar em branco) somam 16%. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais e o registro da sondagem no TRE-SP é o 35974/2010. Foram ouvidos 1.600 eleitores.

Pesquisas anteriores
Os dados do Ipespe acompanham os divulgados pelo Vox Populi, em maio, e pelo Datafolha, em março. Segundo pesquisa Vox feita de 8 a 11.mai.2010, Alckmin venceria no 1° turno com 51% dos votos. Mercadante teve 19%, Russomanno, 12%, e Skaf, 2%. Os votos não válidos seriam 16%. Aqui, quadro detalhado com pesquisas de intenção de voto em São Paulo.

O Datafolha ouviu os eleitores de 25 a 26.mar.2010 e atribuiu a Alckmin 53% dos votos contra 13% de Mercadante e 10% de Russomanno. Os votos não válidos foram 19%. Assim, o tucano também ganharia no 1° turno. Mas esse quadro excluiu Skaf da disputa, incluindo Fábio Feldman (PV), que ficou com 3%, e Ivan Valente (PSOL), que teve 1%.

No entanto, a mesma pesquisa Datafolha, de março, testou 1 cenário em que Eduardo Suplicy (PT) e Ciro Gomes (PSB) figuravam entre as opções de candidatos apresentadas aos entrevistados (possibilidade já descartada pelo PT e pelo PSB). Nesse caso, Alckmin não venceria no 1° turno. Ele teve 49% dos votos contra 17% de Suplicy, 11% de Ciro, 11% de Mercadante, 9% de Russomanno, 2% de Fábio Feldman e 2% de Ivan Valente. Os votos não válidos foram 17% do total.

Antes disso, apenas 2 outros cenários (já descartados pelos partidos) não indicavam vitória de Alckmin no 1° turno. Ambos são do Datafolha. Um deles teve coleta de dados de 11 a 13.ago.2009 e incluiu entre os candidatos Ciro Gomes (PSB), Soninha (PPS), Paulo Maluf (PP), Paulinho da Força (PDT) e Campos Machado (PTB). Outro, com coleta de 16 a 19.mar.2009, tinham Ivan Valente (PSOL), Marta Suplicy (PT) e Luiza Erundina (PSB).

Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fernando Rodrigues
 

ES: Casagrande (PSB) 61,6% x 18% Luiz Paulo Velloso (PSDB)

Serra tem 41% dos votos capixabas e Dilma, 31,2%

Pesquisa do Instituto Futura sobre a eleição para governador do Espírito Santo indica que Renato Casagrande (PSB) tem 61,6% das intenções de voto. Luiz Paulo Velloso (PSDB) tem 18% e Brice Bragato (PSOL), 2,5%. Eleitores indecisos, que vão anular ou votar em branco são 17,9%. Com mais da metade dos votos válidos, Casagrande seria eleito no 1° turno.

A pesquisa tem margem de erro de 3,5 pontos percentuais (para mais ou para menos) e foi feita em 7 e 8.jun.2010 com 800 eleitores capixabas. Está registrada com o n°7203/2010 no TRE-ES.

Com relação a maio, Casagrande cresceu 6,1 pontos percentuais. Na pesquisa feita em 5 e 6.mai.2010 pelo Instituto Futura, ele tinha 55,5% dos votos. Já Luiz Paulo tinha 18,4 e oscilou 0,4 pontos para baixo, dentro da margem de erro. A página de Pesquisas de Opinião do UOL mostra em detalhes a variação da intenção de voto no Espírito Santo.

Presidente
Na eleição presidencial, o Instituto Futura constatou que José Serra (PSDB) tem a preferência de 41% dos capixabas, enquanto 31,2% preferem Dilma Rousseff (PT) e 8%, Marina Silva (PV). Indecisos são 14,9% e vão anular ou votar em branco 4,9%.

O Espírito Santo representa 1,86% do eleitorado nacional, com 2,49 milhões de eleitores, segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) referentes a abr.2010.

Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fábio Brandt
19h42 - 20/06/2010
 

Poder e política na semana – 21 a 27.jun.2010

A Copa do Mundo na África do Sul esquenta, mas a campanha eleitoral não para. A maioria dos partidos define seus candidatos nas disputas estaduais.

José Serra (PSDB) começa a semana nesta 2a feira sendo sabatinado pelo UOL e pela “Folha de S.Paulo” (às 11h, com transmissão ao vivo). À noite, o tucano está no programa Roda Viva, da TV Cultura.


Dilma Rousseff (PT) inicia e termina a semana em Salvador: na 2ª, vai à convenção do PMDB que lança Geddel Vieira Lima ao governo; no domingo, estará na convenção do PT que lança Jaques Wagner também ao governo. Nos outros dias, ela visita festas juninas no Nordeste.


Marina Silva (PV) deve passar pelo Rio (na 3ª), Belo Horizonte (na 5ª) e São Paulo (na 6ª), mas sua equipe alerta que a agenda pode mudar.

 

Na 6ª feira, a seleção de futebol do Brasil enfrenta a de Portugal pela Copa do Mundo. No sábado e no domingo Lula participa da reunia do G-20 no Canadá.


A seguir, o drive político da semana:

 


Segunda (21.mai.2010)
Serra na sabatina Folha-UOL – o tucano será sabatinado por jornalistas do UOL e da “Folha de S.Paulo”, às 11h, com transmissão ao vivo. Ele ainda deve ir à Uberaba, no interior de MG. À noite, o programa Roda Viva (TV Cultura) transmite entrevista gravada no sábado (19.jun.2010) pelo tucano.


Dilma em Salvador – a petista participa da convenção do PMDB que oficializa Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) como candidato ao governo da Bahia. Aqui, pesquisas sobre a disputa baiana.


Russomano em SP – o PP oficializa a candidatura de Celso Russomanno ao governo estadual paulista. Geraldo Alckmin (PSDB) já foi oficializado em 13.jun.2010. Aloísio Mercadante (PT), será lançado em 26.jun.2010. Esses serão os 3 principais candidatos ao Palácio dos Bandeirantes.


Lula em Brasília – pela manhã, o presidente faz reunião de coordenação, no CCBB. À tarde, vai à 4ª Conferência Nacional das Cidades e participa da Semana Nacional Sobre Drogas.


Enem 2010 – começam as inscrições para a prova que substitui o vestibular de diversas universidades federais. Em 2009, o vazamento da prova originou crise no Inep, órgão do Ministério da Educação responsável pelo Enem.


Palestinas na Vila Belmiro
– até 5.jul.2010, a seleção feminina de futebol da Palestina participa de amistosos e treinos em Santos. Quem banca é o governo brasileiro, cumprindo acordo de cooperação esportiva firmado por Lula em mar.2010.


Reforma do Código Florestal – Câmara dos deputados pode votar as mudanças na lei ambiental.


Terça (22.jun.2010)
Marina Silva no Rio
– pela manhã, concede entrevista às rádios Globo AM e FM. Em seguida, participa do programa Espaço Aberto (Globo News). À tarde, vai à região serrana do Estado.
 
Dilma em Caruaru – na cidade pernambucana, a petista inaugura seu giro por festas juninas do Nordeste.

Lula no Pará – em Altamira, endossará a construção da usina de Belo Monte. Deve presenciar protestos de moradores da região. Também passa por Marabá, onde inaugura obras da siderúrgica Aços Laminados do Pará, empreendimento da Vale do Rio Doce. 

 


Quarta (23.jun.2010)
Dilma em Campina Grande
– a 2ª quermesse a receber a pré-candidata petista ao Planalto fica na Paraíba.

Hélio Costa em Brasília – na capital, o candidato do PMDB ao governo de Minas Gerais, lança livro com bastidores de reportagens que realizou para o programa “Fantástico” (Rede Globo) nas décadas de 1970 e 1980.

Lula recebe presidente de Angola – encontro com José Eduardo dos Santos ocorre às 12h, em Brasília. Às 15h, Lula vai à Luziânia (GO) inaugurar sala do projeto Cinema Mais Perto de Você.


Quinta (24.jun.2010)
Dilma em Aracaju
– na capital do Sergipe, encerra o tour pelas festas nordestinas de São João.


Marina em Belo Horizonte – participa da convenção estadual do PV que oficializa o verde Zé Fernando como candidato ao governo de Minas Gerais. Hélio Costa (PMDB) e Antonio Anastasia (PSDB) são os principais adversários na disputa –aqui, as pesquisas sobre MG. 

PTB na TV – partido que apoia o tucano José Serra, o PTB veicula sua propaganda no rádio (das 20h às 20h10) e na TV (das 20h30 às 20h40).

Sarney no Maranhão – PMDB realiza sua convenção estadual e formaliza, com apoio do PT, a candidatura de Roseana à reeleição como governadora.

 
Política econômica – Conselho Monetário Nacional faz sua reunião mensal. Fipe divulga Índice de Preços ao Consumidor. Ministério da Fazenda apresenta o relatório mensal sobre a dívida pública.


Sexta (25.jun.2010)
Brasil x Portugal
– Lula assiste à partida no Palácio da Alvorada, em 3D, com equipamento emprestado pela Rede TV!. Dilma, provavelmente, assiste no QG de sua campanha, em Brasília, e Marina, em São Paulo. O Senado faz sessão não deliberativa. Câmara nem divulgou programação.


Sábado (26.jun.2010)
Lula no Canadá – o presidente participa da reunião do G-20 e volta ao Brasil na madrugada de 2ª feira (28.jun.2010).

PT lança Mercadante em São Paulo convenção estadual oficializa candidato ao governo paulista.

Dilma na convenção do PRB – o partido do atual vice-presidente da República, José Alencar, o PRB oficializa sua entrada na coligação que apoia o PT na eleição presidencial.  

Convenção de Oscar Silva – em Pernambuco, o PHS torna oficial a candidatura de seu filiado ao Planalto.

Convenção Nacional do PPS – no Rio de Janeiro, sigla oficializa participação na coligação que apoia o PSDB na eleição presidencial. 

Convenção do PSTU – partido lança o Zé Maria para a Presidência da República. Às 15h, em São Paulo.

Convenções do PMDB – partido faz encontros estaduais no Acre, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e Goiás.
expectativa do blog: como o PMDB resolverá a insubordinação de sua seção catarinense, que vai apoiar o DEM?


Domingo (27.jun.2010)
Dilma em Salvador
– 1 semana após prestigiar o lançamento da candidatura de Geddel Vieira Lima (PMDB) ao governo da Bahia, a petista vai à convenção do PT da Bahia, que oficializa Jaques Wagner (PT) como candidato  à reeleição ao governo estadual.


Convenção de Mário de Oliveira – em Minas Gerais, o PTdoB lança seu candidato à Presidência da República.



Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fernando Rodrigues
Perfil

Fernando Rodrigues, jornalista, nasceu em 1963. Fez mestrado em jornalismo internacional na City University, em Londres, Reino Unido (1986).

Na Folha desde 1987, foi repórter, editor de Economia, correspondente em Nova York (1988), Tóquio (1990) e Washington (1990-91). Na Sucursal de Brasília da Folha desde 1996, assina a coluna "Brasília", na página 2 do jornal, às quartas e sábados.

Mantém uma página de política no UOL desde o ano 2000 - com informações estatísticas e analíticas sobre eleições, pesquisas de opinião e partidos políticos. Em 2007/08 recebeu uma fellowship da Fundação Nieman, na Universidade Harvard (Cambridge, MA, nos Estados Unidos).

Regras de uso

Busca
Neste blog Na Web

Histórico