UOL Notícias Blogs
 

Blog

Cobertura política, eleitoral, pesquisas e notícias do poder

20h07 - 15/05/2010
 

Vox Populi/Band: Dilma 38% X 35% Serra

  • pela primeira vez, petista aparece numericamente à frente
  • pesquisa ajudará PT a fazer alianças pelos Estados
  • saída de Ciro beneficiou mais Dilma que Serra
  • para o PV, má notícia: Marina continua abaixo de 10%

 

Por que Dilma subiu de 33% para 38% no Vox Populi e Serra caiu de 38% para 35%? Não há uma resposta única para essa pergunta. Nos últimos cerca de 45 dias (o último levantamento Vox foi em 30-31 de março) os 2 candidatos apareceram intensamente na mídia, dando entrevistas e participando de eventos públicos.

 

Numa avaliação inicial, a petista parecia ter ido pior do que o tucano. Titubeava mais nas respostas, sempre longas, prolixas. Já o adversário parecia mais seguro, com poucos deslizes –embora para ambos já exista um amplo arsenal de escorregões circulando na web.

 

O fato é que, agora, o Vox Populi mostra que os eleitores tiveram uma avaliação diferente do que mostrava o senso comum nas análises gerais. De acordo com o levantamento divulgado pela TV Bandeirantes, Dilma pontuou de forma robusta no patamar acima dos 30% –aliás, aproximando-se dos 40%.

 

Serão necessárias mais rodadas de pesquisas para saber se essa variação positiva da petista é realmente uma tendência consolidada ou fruto da bateria de propagandas do PT, que inundaram as TVs e as emissoras de rádios durante a coleta de dados do Vox Populi. A esse respeito, diga-se, a oposição terá nos próximos 50 dias a sua artilharia colocada no ar com a presença certamente grande de José Serra –pois o PSDB e seus aliados deixaram para este final de semestre os seus programas partidários.

 

Os números da pesquisa Vox Populi terão, é claro, um efeito positivo para Dilma Rousseff e para o PT, que estão na fase final de fechar alianças eleitorais em todos os Estados. Com a candidata petista numericamente à frente de José Serra, o partido de Lula terá mais argumentos para forçar acertos locais.


A pesquisa Vox Populi também corrobora a tese de Lula de que a saída de Ciro Gomes (PSB) da disputa acabaria ajudando o PT. Este é o primeiro levantamento no qual o nome de Ciro não aparece nas cartelas dos pesquisadores. Dilma foi, de longe, a maior beneficiada.


E, por fim, a outra teoria lulista da polarização PT X PSDB vai se tornando cada vez mais uma realidade. Marina Silva (PV) não aconteceu e permanece nos 8%. A candidata verde continua ainda pouco conhecida. A dúvida é se terá tempo para ficar mais popular no atual ambiente, sobretudo porque terá pouco tempo na propaganda de rádio e de TV.


Todos os números

A pesquisa de intenção de voto Vox Populi divulgada hoje (15.maio.2010) pela TV Bandeirantes coloca a pré-candidata a presidente pelo PT, Dilma Rousseff, com 38%. Logo em seguida vem o nome do PSDB, José Serra, com 35%.


Segundo a Vox Populi, Dilma subiu 5 pontos percentuais na comparação com o último levantamento, de 30-31.março.2010, quando registrava 33%. Já Serra tinha 38% e oscilou 3 pontos percentuais para baixo.

 

Esta é a primeira vez nesta corrida eleitoral que Dilma aparece numericamente à frente de Serra. Ambos ainda estão tecnicamente empatados, pois a margem de erro da pesquisa Vox Populi é de 2,2 pontos percentuais.

 

Marina Silva (PV) aparece com 8%. Brancos e nulos também foram 8%. E 11% estão indecisos ou não responderam.

 

Numa simulação de segundo turno de 2o turno Dilma está com 40% (tinha 35% em janeiro, segundo informou a TV Bandeirantes) contra 38% de José Serra (que registrava 46% na pesquisa de janeiro). Brancos e nulos são 9%. E 13% estão indecisos ou não responderam nessa simulação.


Os dados de outras pesquisas simulando o 2º turno estão aqui.

 

O Vox Populi também testou um cenário de 1º turno com todos os candidatos nanicos, mas só Dilma, Serra e Marina ponturam. Nesse caso, Dilma aparece com 37% dos votos, Serra com 34% e Marina com 7%. Os demais não somam sequer 1%.

 

O levantamento também apurou que 75% dos eleitores dizem conhecer bem José Serra. No caso de Dilma, 56% a conhecem bem. O percentual de Marina é 33%.

 

Registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número 11266/2010, a pesquisa Vox Populi foi realizada de 8 a 13 de maio de 2010. Foram ouvidas 2.000 pessoas no país.

 

Ou seja, os dados da Vox Populi captaram os efeitos dos comerciais de 30 segundos do PT ao longo da semana, mas não o programa mais longo, de 10 minutos, que o partido divulgou na quinta-feira (13.maio.2010) à noite em rede de rádio e TV.

 

 

Outros dados divulgados no site da TV Bandeirantes:

 

Voto regional: “Dilma tem mais força no Nordeste, onde consegue 45% dos votos. Já na região Sul, a petista fica com 30%. Serra está em situação oposta, com 45% dos votos no Sul e 30% no Nordeste”.

 

Gênero: “Dilma tem mais votos de homens (42%) e menos de mulheres (34%). Já a situação de Serra é mais equilibrada: 35% dos seus votos são de mulheres e 34% de homens”.

 


Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fernando Rodrigues
12h37 - 14/05/2010
 

PT na TV materla o lulo-dilmismo

A propaganda partidária do PT ontem (13.mai.2010) na TV e no rádio basicamente radicalizou e explicitou a estratégia da pré-candidata a presidente Dilma Rousseff. Em tópicos:

 

1) Lulo-dilmismo: pela releitura petista da história, o governo federal sob Lula deve quase tudo a Dilma. Ela era uma ministra das Minas e Energia pouco conhecida, foi como uma técnica para a Casa Civil depois da queda de José Dirceu, mas tornou-se responsável por quase tudo. Em resumo, não existe mais o lulismo, mas o lulo-dilmismo. É uma releitura da história. Eis o que diz Lula:

"Ela [Dilma] simplesmente foi exuberante na coordenação do meu governo. Eu digo, sem medo de errar, grande parte do sucesso do governo está na capacidade de coordenação da companheira Dilma Rousseff". Ou seja, sem Dilma não teria havido um governo Lula;

 

2) Agora, é Lula-Dilma X FHC-Serra: o PT encafifou mesmo com a estratégia de tentar colar Dilma em Lula e Serra em FHC. No programa de ontem, não se comparava o governo petista com o tucano, mas a administração Lula-Dilma com a de FHC-Serra.

 

Eis o programa do PT de ontem (13.mai.2010):


 

 

E a pergunta de 1 milhão de dólares é: vai dar certo essa estratégia do PT? Impossível responder. Mas os petistas parecem estar seguros. Não se movem um milímetro do plano traçado. Só lá para o final de julho ou início de agosto, quando a campanha esquentar, será possível ter uma ideia da eficácia desse modelo adotado por Dilma. Por enquanto, é tudo especulação.

 

A outra pergunta é se o PT fez propaganda eleitoral antecipada disfarçada de propaganda partidária. A resposta é sim, foi isso mesmo o que se passou. Mas repetiu-se uma praxe copiada por todos os outros partidos. Como recordar é viver, assista abaixo os programas de PT e PSDB em dezembro 2009 e reflita se também foram ou não propaganda antecipada.


É claro um despautério haver uma lei que é sistematicamente desrespeitada. Nesse caso, para que a lei? Resposta: porque é conveniente para os políticos fingirem que não estão ainda em campanha e assim evitarem questionamentos mais duros por parte da mídia e dos eleitores.

 

Abaixo, os programas partidários (na realidade, eleitorais) de PSDB e PT.

 

O programa partidário do PSDB, transmitido em 3.dez.2009:

 

O programa partidário do PT, transmitido em 10.dez.2009:

 

Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fernando Rodrigues
 

Web traz felicidade, diz estudo britânico

 

principais beneficiados são os pobres e as mulheres

Pessoas com acesso à internet estão mais satisfeitas com suas vidas, indica estudo do UK’s Chartered Institute of IT. “Nossa análise sugere que a TI [tecnologia da informação] tem um papel ativador e energizador na vida das pessoas, aumentando sua sensação de liberdade e controle. Isso tem impacto positivo no bem-estar ou na felicidade”, disse à revista “Time” o responsável pelo estudo, Michale Willmott. (aqui, resumo da “Slate”).


O bem-estar proporcionado pela rede não varia com a idade. Mas algumas pessoas aproveitam melhor o benefício. Segundo o estudo, quem mais tira prazer da internet são as pessoas com menor renda ou menos qualificação –ou seja, em geral, quem é pobre–, e as que vivem “no mundo em desenvolvimento” e as mulheres.

Para chegar às conclusões, os pesquisadores analisaram as informações prestadas por 35 mil pessoas do mundo todo à Pesquisa Mundial de Valores (a World Values Survey, WVS). Apesar das constatações, o estudo não explica ao certo por que a relação existe. “Esperamos estabelecer por que isso ocorre e, em particular como isso funciona  para mulheres e grupos privados de poder”, disse Willmott à Time.

Mesmo assim, os resultados são considerados plausíveis por Carol Graham, estudiosa de política internacional da Instituição Brookings, de Washington D.C. Ela explicou à Time que, em países menos desenvolvidos, a internet facilita a manutenção de amizades, algo importante para o bem-estar. “E-mail e TI são bons meios para manter [amizades], particularmente em contextos em que telefones e transporte estão longe do ideal”, afirmou.

 

Quer seguir o blog no Twitter? Aqui. 

 

Por Fernando Rodrigues
16h00 - 13/05/2010
 

Lula envia o “bolsa Copa” para o Congresso

Planalto quer dar R$ 100 mil a cada ex-jogador de 58, 62 e 70

 

O discurso oficial do governo é sobre cortar gastos para conter a inflação, mas na prática vão sendo tomadas medidas contraditórias. Uma delas foi o projeto de lei da Presidência da República encaminhado ao Congresso nesta semana criando a “Bolsa Copa do Mundo”. Se virar lei, dará um prêmio de R$ 100 mil a cada um dos ex-jogadores campeões mundiais de futebol na Copas do Mundo de 1958, 1962 e 1970.

 

Não é só isso. Além desses R$ 100 mil iniciais, cada ex-jogador passaria também a ganhar um estipêndio mensal vitalício de até R$ 3,4 mil. O valor seria determinado na comparação com a renda atual do beneficiado. O teto será a aposentadoria máxima da Previdência Social, que é de R$ 3.416,54. Se um ex-campeão do mundo, por exemplo, tiver uma renda mensal de R$ 1 mil, receberá um complemento mensal de R$ 2,416.

 

É importante dizer que esse dinheiro será pago a todos os convocados para as Copas de 58, 62 e 70, não importando se tenham sido titulares ou reservas. Segundo comunicado do governo, “o prêmio de R$ 100 mil será pago de uma única vez" (...) "beneficia inclusive herdeiros legais de jogadores já falecidos, e estará isento de Imposto de Renda e contribuição previdenciária. O pagamento será feito com recursos do Ministério do Esporte”.

 

O auxílio, diz o governo, “também será pago à esposa ou companheira, filhos menores de 21 anos ou inválidos, desde que a invalidez seja anterior à data em que atingiram 21 anos”.

 


Quer seguir o blog no Twitter?
 
Aqui
.

Por Fernando Rodrigues
08h26 - 12/05/2010
 

Filme sobre Sarney custou R$ 650 mil aos cofres públicos

presidente da Eletrobrás, uma das patrocinadoras, foi indicado por Sarney em 2008

Ao gastar R$ 650 mil do dinheiro público para realizar o documentário “José Sarney, um nome na história”, a intenção da produtora FBL Criação e Produção era “preservar a memória” do país, segundo a diretora da empresa, Rozane Braga.

Com 70 minutos, o filme foi exibido pela TV Senado em 24.abr.2010, quando o presidente do Senado e ex-presidente da República, José Sarney (PMDB-AP), completou 80 anos. O vídeo alterna longo depoimento do próprio Sarney com falas menores de sua filha e governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB-MA), do senador Marco Maciel (DEM-PE), do poeta Ferreira Gullar e outros entrevistados.

Abaixo, a abertura do filme:




A produção foi beneficiada pela Lei Rouanet de incentivo à cultura, informa o repórter do UOL Fábio Brandt. Seu custo equivale ao que a Eletrobrás, a Vale e a Nextel não pagaram em impostos por incentivar a realização da biografia audiovisual de Sarney. Desde 6.mar.2008, o presidente da estatal Eletrobrás é Antônio Muniz Lopes. Ele assumiu o cargo com apoio de Sarney (aqui, a relação de dirigentes da Eletrobrás).

O senador nega ter influenciado a obtenção do patrocínio. Sua assessoria de imprensa afirma que a FBL realizou o filme de forma independente e só escolheu biografar o congressista pela “importância política que ele tem na história recente do país”. Segundo a diretora da FBL, “colocar [o projeto do filme] na Lei e conseguir o patrocínio é responsabilidade da produtora. O presidente Sarney entrou de gaiato nessa história”.

Não é a 1ª vez que recursos da Eletrobrás são associados a Sarney. Reportagem publicada pela “Folha de S. Paulo” em 18.ago.2009 informou que o instituto Mirante, criado pelo empresário Fernando Sarney, filho de José Sarney, recebeu R$ 250 mil da estatal. Na ocasião, a Polícia Federal desconfiava que o empresário usava a influência do pai para conseguir contratos para empresas privadas no setor de energia.

Abaixo, outro trecho do filme feito pela FBL:




O Blog quis saber por que a TV Senado não produziu o filme já que possui estrutura e funcionários para tratar de assuntos relacionados aos senadores. O diretor da Secretaria de Comunicação do Senado, Fernando Cesar Mesquita, admitiu que a TV Senado poderia ter feito o documentário. “Mas não o fez no caso do presidente Sarney porque o Fernando [Barbosa Lima, proprietário já falecido da FBL] já o havia realizado sem ônus para o Senado”, justificou Mesquita, que foi porta-voz de Sarney durante sua gestão na Presidência da República (1985-1989).

Bastidores
Item da coleção “Os grandes brasileiros”, o filme sobre Sarney dá sequência ao de Tancredo Neves, conta Rozane. “Depois da morte do Tancredo vem a redemocratização e quem faz parte desse projeto chama-se ‘presidente José Sarney’. Ele foi fundamental na luta pela redemocratização”, diz.

Abaixo, trecho do filme que apresenta imagens da posse de Sarney como presidente da República em 15.mar.1985:



A diretora da FBL diz que o filme sobre Sarney custou menos do que outros da série – que inclui Darcy Ribeiro, Ziraldo, Sérgio Cabral pai e Barbosa Lima Sobrinho. Mas ela não revela o preço desses outros documentários. Diz apenas que eles também receberam verba pública. “Não é necessário levantar isso para sua matéria”, argumenta. Segundo ela, a Eletrobrás já havia patrocinado a biografia de Darcy Ribeiro. “Ele já estava morto. Não acredito que tenha ligado pra Eletrobrás para pedir o patrocínio”.

As 1.250 cópias do filme foram distribuídas em gabinetes de congressistas, escolas, bibliotecas e para jornalistas. Mas o público-alvo do trabalho são estudantes, ressalva a diretora. “Nosso comprometimento é com essa coisa de melhorar o nível cultural do nosso povo”.


Quer seguir o blog no Twitter?
 
Aqui
.

Por Fernando Rodrigues
10h07 - 10/05/2010
 

Banco Central não é Santa Sé, diz Serra

tucano deixa explicita sua divergência sobre política de juros

mostrando irritação, diz que não vai “virar a mesa coisa nenhuma”

 

O pré-candidato a presidente pelo PSDB, José Serra, disse que o Banco Central “não é a Santa Sé”, ou seja, está sujeito a cometer erros. Deu a entender que vai sempre expressar sua opinião a respeito do que considerar erros na condução da política monetária do BC.

 

Indagado em entrevista hoje (10.mai.2010) à rádio CBN se no caso de ser eleito seria também uma espécie de presidente do Banco Central, reagiu afirmando que “isso é brincadeira”.

 

Mas o tucano declarou de forma clara ter considerado um equívoco a forma como o BC conduziu a política monetária ao longo da crise financeira de 2008/09 –demorando mais do que os outros países para reduzir a taxa de juros no país. Para ele, “simplesmente foi um erro” não ter baixado mais e mais rapidamente os juros durante aquele período, pois o Brasil não enfrentava nenhuma pressão inflacionária.

 

“Se alguém se assusta porque eu acho que a taxa de juros deve cair quando a inflação está caindo, quando tem quase deflação, é porque tem uma posição muito surpreendente do ponto de vista dos interesses do Brasil. Por outro lado, a mesa da economia brasileira eu ajudei a reerguer (...) Todo mundo sabe que eu não vou virar a mesa coisa nenhuma”, disse Serra.

 

O tucano foi então confrontado com uma situação hipotética pela colunista de economia Míriam Leitão. O que faria, se fosse presidente e percebesse que o Banco Central está errando a mão? Serra demonstrou uma certa irritação ao responder:

 

“Espera um pouquinho. O Banco Central não é a Santa Sé. Você acha isso, sinceramente, que o Banco Central nunca erra? Tenha paciência. Agora, quem acha que o Banco Central erra é contra dar condições de autonomia e trabalho ao Banco Central? Claro que não. Agora, de repente, monta-se um grupo que é acima do bem e do mal, que é o dono da verdade e que qualquer criticazinha já vem algum jornalista, já vem o outro e ficam nervozinhos por causa disso. Não é assim. Eu conheço economia, sou responsável, fundamento todas as coisas que penso a esse respeito. E, a esse propósito, você e o pessoal do sistema financeiro podem ficar absolutamente tranquilos que não vai ter nenhuma virada de mesa”.

 

A jornalista insistiu para saber como Serra reagiria se for eleito presidente e perceber algum erro do BC. E o tucano:

 

“Imagina, Míriam, o que é isso? Mas que bobagem. O que você está dizendo, você vai me perdoar, é uma grande bobagem. Você vê o Banco central errando e fala: ‘não, eu não posso falar porque são sacerdotes...’ Eles têm algum talento, alguma coisa divina, mesmo sem terem sido eleitos, alguma coisa divina, alguma coisa secreta tal que vc. não pode nem falar ‘ó, pessoal, vocês estão errados’. Ah, tenha paciência”.

 

Ainda nesse capítulo sobre política econômica, Serra foi perguntado se é a favor dar um mandato com tempo determinado ao presidente do Banco Central, como nos EUA. O tucano disse ser contra.

 

Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

Por Fernando Rodrigues
20h30 - 09/05/2010
 

Poder e política na semana – 10 a 16.mai.2010

Lula no Irã, Dunga anunciando a convocação da seleção brasileira de futebol, os pré-candidatos em campanha e o PT na TV (5a feira), se a Justiça não proibir.

 

A seguir, o que moverá o mundinho político na semana que começa:

 

Segunda (10.mai.2010)

Dilma no Rio – a petista dá palestra no Seminário “Brazil Infrastructure Summit”, promovido pelo “Valor Econômico” e pelo “Financial Times”, no Copacabana Palace. Entre os outros palestrantes estão o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB) e o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

 

Marina em São Paulo – a pré-candidata verde discute segurança pública em uma “roda de conversa” realizada no Instituto Democracia e Sustentabilidade, que ela mesma preside. Em seguida, concede entrevista coletiva.

 

Serra no rádio – às 8h, o tucano concede entrevista à rádio CBN.

 

 

Terça (11.mai.2010)

Copa do Mundo – Dunga divulga os 23 convocados para representar o Brasil na Copa do Mundo da África do Sul.
comentário do blog: a política começa a entrar em estado de criogenia até o final da Copa.

 

Dilma no Rio Grande do Sul – às 9h, petista participa do seminário “Rio Grande – onde o Rio Grande Renasce”. Às 12h concede entrevista coletiva e as 19h30 marca presença na posse da nova diretoria da Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul e da Associação Comercial de Porto Alegre.
comentário do blog: é o PT tentando interromper o avanço dos apoios obtidos pelo tucano Serra na semana anterior.

 

Aurélio – a Câmara faz sessão solene em homenagem ao centenário de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira (1910 – 1989), signatário do célebre dicionário da língua portuguesa.

 

Aumento para o Judiciário – os líderes dos partidos na Câmara recebem os presidentes do STF, ministro Cezar Peluso, e do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, para discutir projeto que eleva os salários iniciais e reestrutura as carreiras do Poder Judiciário.

 

Ficha limpa – em regime de urgência, a Câmara discute emendas ao Projeto de Lei que inibe a candidatura de políticos com pendências ou condenação na Justiça.

 

Plínio debate com Minc – Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) é o único pré-candidato a presidente que aceitou debater desenvolvimento sustentável na sede do Instituto Ethos, em São Paulo (começa às 15h). Carlos Minc vai pelo PT, Francisco Graziano pelo PSDB e João Paulo Capobianco pelo PV.

 

Marina visita Natal e Mossoró – a pré-candidata fica 2 dias no Rio Grande do Norte. Em Natal, cuja prefeita Micarla de Sousa é do PV, Marina recebe título de cidadã natalense (também sugerido por um vereador do partido).

 

Belo Monte – o Senado elege presidente da subcomissão temporária que vai acompanhar a construção da usina.

 

 

Quarta (12.mai.2010)

Lula globetrotter – à tarde, o presidente parte para Moscou. Além da Rússia, fará reuniões oficiais no Catar, Irã, Espanha e Portugal. O vôo de retorno sai de Lisboa em 19.mai.2010.

 

Restrição ao fumo – às 8h, na Câmara, será lançada a Frente Parlamentar de Controle do Tabaco.

 

Casamento gay – audiência pública promovida pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania do Congresso trata do Projeto de Lei 674/07 que define união estável e direito a pensão. Aqui o texto do projeto. 

 

 

Quinta (13.mai.2010)

Lula na Rússia – o presidente tem compromissos com os russos em 13 e 14.mai.2010.

 

PT na TV – se o TSE não proibir, como quer o Ministério Público Eleitoral, a propaganda do partido será veiculada via rádio (das 20h às 20h10) e TV (das 20h30 às 20h40).

 

 

Sexta (14.mai.2010)

Lula no Catar – o presidente faz visita oficial a Doha em 14 e 15.mai.2010. No dia 15, ele parte para o Irã.

 

Negros do PT – de 14 a 16.mai.2010 ocorre, em Brasília, o Encontro Nacional de Negras e Negros do PT.

 

 

Domingo (16.mai.2010)

Lula no Irã – o presidente cumpre agenda oficial no país de Mahmoud Ahmadinejad. No dia seguinte, ele parte para Madri, onde participa da cúpula União Europeia-América Latina, de 17 a 18.mai.2010.
comentário do blog: essa é a grande aposta de Lula no plano internacional. Quer ser “o” mediador da paz no Oriente Médio.

 

Acordo com o México – delegação brasileira vai ao México negociar o acordo de livre comércio que está travado. O setor privado mexicano resiste a idéia porque já enfrenta concorrência dos produtos norte-americanos.

 


Quer seguir o blog no Twitter? Aqui.

 

Por Fernando Rodrigues
Perfil

Fernando Rodrigues, jornalista, nasceu em 1963. Fez mestrado em jornalismo internacional na City University, em Londres, Reino Unido (1986).

Na Folha desde 1987, foi repórter, editor de Economia, correspondente em Nova York (1988), Tóquio (1990) e Washington (1990-91). Na Sucursal de Brasília da Folha desde 1996, assina a coluna "Brasília", na página 2 do jornal, às quartas e sábados.

Mantém uma página de política no UOL desde o ano 2000 - com informações estatísticas e analíticas sobre eleições, pesquisas de opinião e partidos políticos. Em 2007/08 recebeu uma fellowship da Fundação Nieman, na Universidade Harvard (Cambridge, MA, nos Estados Unidos).

Regras de uso

Busca
Neste blog Na Web

Histórico