UOL Notícias Blogs
 

Blog

Cobertura política, eleitoral, pesquisas e notícias do poder

06h42 - 03/08/2007
 

O drive político do dia (3.ago.2007 - 6ª feira)

Congresso X Congresso – os senadores resolveram criticar a CPI do Apagão da Câmara pela divulgação dos dados da caixa-preta do avião da TAM. A Câmara respondeu, praticamente chamando os senadores de preguiçosos. Familiares das vítimas da tragédia com o Airbus da TAM visitaram autoridades em Brasília e ouviram promessas do presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, e do presidente Lula. O petista falou em conclusão da apuração em 20 dias, enquanto a Aeronáutica fala em meses de investigação. O presidente também fez uma metáfora infeliz sobre a crise aérea: "É como um paciente que não soubesse a gravidade da doença e aí, quando vê, está com metástase no corpo todo".

Comentário do blog: é deprimente a atuação do Congresso nesse caso. Lula, ao dizer a familiares que estava desinformado sobre o assunto, vai se superando em frases impróprias.

 

Lula e o “super PAC” quantas vezes o PAC será lançado? Impossível saber. Hoje, o presidente recebe 13 governadores ou representantes de Estados (AM, AP, AC, RO, RR, TO, ES, GO, DF, PA, MA, AL e SC) para o “lançamento” do PAC do saneamento e urbanização (às 10h30, no Planalto). Na agenda do petista também consta um encontro com os atletas participantes do PAN.

 

Metrô paulista em greve – o caos continua hoje na maior cidade do país.

Palpite do blog: desgaste para o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e para o prefeito paulistano, Gilberto Kassab (DEM). Nem só de caos aéreo vive o Brasil.

 

Super telefônica – a Vivo ganhou a gincana e ficou com as operadoras Telemig Celular e a Amazônia Celular. Pagará R$ 1,213 bilhão. A Vivo, sabe-se, é controlada pelos grupos Telefónica (50%) e Portugal Telecom (50%). Aos poucos, esse mercado vai se aglutinando. E o capital é estrangeiro. A Vivo está na península ibérica e tem cerca de 28% do mercado brasileiro. É seguida de perto pela TIM (da Telecom Itália), com 26%, e pela Claro (da mexicana América Móvil), com 25%.

Comentário do blog: esse mercado ainda vai mudar muito.

 

Lobby mais regulado... nos EUA – enquanto aqui nem lei existe, nos EUA o Senado deu aprovação final ontem (quinta-feira) para um pacote com novas regras para o exercício da atividade de lobby. Bush agora precisa sancionar o texto. O "New York Times" (só para cadastrados) de hoje tem bom texto a respeito. Presentes de lobistas, almoços e jantares ficaram mais limitados ou proibidos. Pegar carona em jatinhos? Nem pensar. Os deputados terão de pagar. Ah, se fosse no Brasil...

Por Fernando Rodrigues
11h51 - 02/08/2007
 

"The book is on the table"

Aí vai uma nota de caráter vernacular.

A transcrição em inglês da caixa-preta de voz do Air bus acidentado contém a frase "it can´t", duas vezes.

A deputada Luciana Genro (PSOL-RS) traduziu por "eu não consigo". Está errado.

O certo é "não dá".

Aliás, este blog sabe, com 100% de segurança, que a frase, em português, é "não dá". Se o áudio aparecer algum dia, essa informação poderá ser comprovada.

Aliás, não dá para ter mais sessões degradantes como a de ontem da CPI do Apagão Aéreo. Interpretação das frases com o método stanislavskiano... ninguém merece. "Ó, meu Deus...".

Por Fernando Rodrigues
 

PT vai hoje à TV; na web, legenda
‘convoca a militância’ contra ‘direita’

● “nova ofensiva da direita” é “articulada com setores da mídia”

● agências são classificadas de “fracassado modelo tucano”

 

É esclarecedor o documento resultante de uma reunião da Comissão Executiva Nacional do PT nesta semana. O partido eleva ao paroxismo o seu temor a respeito das críticas que recebe. Identifica a mídia como “instrumento e Estado-Maior desta campanha” que estaria em curso para derrubar o governo Lula.

 

Por essa razão, a direção nacional do PT “convoca a militância, os detentores de mandatos e instâncias partidárias a enfrentar a mais nova ofensiva da direita, articulada com setores da mídia, contra o PT e o governo Lula”.

 

Para os petistas, a ação da oposição “sinaliza que a campanha de 2008 já começou”. Hoje à noite, o partido de Lula ocupará seu espaço no rádio (às 20h) e na TV (às 20h30) para mandar seu recado.

 

Em resumo, há um clima de medo entre os petistas. Eis um trecho do documento: “Os ataques não conseguiram alterar, até o momento, o apoio majoritário da população ao presidente da República. Mas é um equívoco achar que isto não possa vir a acontecer. De toda forma, estes ataques pretendem enfraquecer o governo e o PT, com o objetivo de reduzir sua influência tanto em 2008 quanto em 2010”.

 

Para reagir, o PT teria de "implementar" medidas para –"sem ter ilusão de que se possa resolver em curto prazo problemas estruturais e institucionais"– solucionar, por exemplo, o "fracassado modelo tucano de agências regulatórias". O PT também deseja defender os seus: emitiu nota oficial de solidariedade a Marco 'top, top, top' Aurélio Garcia.

 

A direção do partido acredita que “os ataques estão concentrados nos pontos mais fracos” da atuação do governo Lula, citando “erros cometidos” e “iniciativas políticas que devem ser adotadas”. A saber:

 

a) “melhorar a coordenação e retomar a iniciativa política do governo”;

 

b) “garantir que a ‘coalizão’ de governo tenha desdobramentos práticos nas votações do Congresso Nacional”;

 

c) “garantir o equilíbrio entre governabilidade institucional e governabilidade social”.

 

Na prática, o que isso significa? Fazer uma demonstração de força antes que o movimento “Cansei” faça a sua manifestação neste mês de agosto. O “Cansei” (apoiado por organização tão díspares quanto a OAB-SP e a Abraphe, Associação Brasileira dos Pilotos de Helicóptero) pretende fazer um ato no dia 17 de agosto (um mês depois da tragédia com o Airbus da TAM em Congonhas).

 

Pois o PT mobilizará seus militantes para apoiar a “iniciativa da CUT de realizar em 15 de agosto um Dia Nacional de Mobilização na defesa dos direitos e conquistas dos trabalhadores”. Dois dias antes do “Cansei”. Vai ser uma guerra de versões para ver quem coloca mais gente na rua.

Por Fernando Rodrigues
 

O drive político do dia (2.ago.2007 - 5ª feira)

Lula e a política o petista reúne hoje de manhã (9h) seu Conselho Político pela primeira neste segundo semestre. Fazem parte do conselho todos os presidentes de partidos aliados, bem como os líderes partidários no Congresso. A idéia é azeitar a base na Câmara e no Senado para aprovar os dois únicos itens realmente importantes para o Planalto: prorrogação da CPMF (o imposto do cheque) e a DRU (desvinculação de receitas orçamentárias, medida que libera o governo para gastar como bem entende uma parcela maior do dinheiro público).

Comentário do blog: a fisiologia vai campear.

 

Jobim, o político – o ministro da Defesa ontem almoçou com o presidente nacional do PMDB, Michel Temer. Hoje, deve jantar com o governador do Rio Sérgio Cabral, também do PMDB. Jobim é filiado ao PMDB. Em breve vai acertar-se também com José Sarney e outros caciques partidários.

Palpite do blog: por enquanto, Jobim é o nome do PMDB para 2010. Mas está muito cedo e é impossível prever ser o projeto dará certo.

 

CPI do Apagão da Câmara – ouve amanhã, a partir das 9h, o presidente da TAM. À tarde, quem presta depoimento é o representante da Airbus no Brasil, Mário Sampaio.

 

CPI do Apagão no Senado – repete depoimentos já feitos na Câmara. Serão ouvidos a partir das 14h o presidente da Anac, Milton Sérgio Zuanazzi, o presidente da TAM, Marco Antônio Bologna, o presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, e o chefe do Cenipa, brigadeiro Jorge Kersul Filho.

 

Renan pressionado o PSOL apresentou ontem novo pedido de investigação contra o senador, desta vez por suspeitas de Renan ter beneficiado a empresa Schincariol junto ao INSS. Agora cabe à Mesa Diretora do Senado decidir se encaminha o pedido para o Conselho de Ética.

 

O PT na TV – o partido veicula hoje à noite sua propaganda partidária em cadeia nacional de rádio e TV. Às 20h e 20h30, respectivamente.

Por Fernando Rodrigues
08h49 - 01/08/2007
 

Tragédia do Airbus: os erros de cada
uma das 3 partes envolvidas no acidente

As informações contidas nas caixas-pretas do Airbus-A320 da TAM indicam o posicionamento do manete direito em posição errada no momento do pouso como fator principal para o fatídico acidente do dia 17 de julho passado.

 

Reportagem da "Folha" de hoje (só para assinantes) traz detalhes a respeito.

 

E daí? O piloto de fato pode ter se equivocado, mas ainda não está claro se o dado sobre manete foi lido corretamente pelo computador –nesse caso a falha teria sido de ordem mecânica e/ou eletrônica.

 

Neste momento em que se apuram as causas da tragédia, é importante notar, há 3 grandes envolvidos: governo (responsável pelos aeroportos), TAM (dona do avião e empregadora do piloto) e Airbus (fabricante do equipamento).

 

Cada um desses 3 atores tentarão sempre jogar a culpa nas costas dos outros. Ou, pior, para o piloto.–que já morreu, não tem como se defender.

 

Mesmo na pior hipótese para o piloto –ter deixado o manete direito em posição errada na hora do pouso– é preciso considerar vários aspectos dessa possível atitude.

 

O manete direito controla a turbina do lado direito do avião. Essa turbina estava com o reversor pinado (travado, pois o dispositivo não estava funcionando).

 

Outros aviões A320 da Airbus já tiveram problemas semelhantes. Houve acidentes. A fabricante determinou certos procedimentos de segurança. Para alguns modelos foram instalados dispositivos extras de alerta.

 

Eis o que envia um internauta da área: “Airbus has developed a specific warning when one throttle is set to reverse while the other is above idle. This warning generates an ECAM warning "ENG x THR LEVER ABV IDLE", a continuous repetitive chime (CRC), and lights the red master warning light. This new warning is implemented in the FWC standard "H2F3" ”.

 

Ou seja, depois de constatar o possível problema a fabricante mandou instalar um dispositivo que emite um apito contínuo e faz acender uma luz vermelha na cabine quando há conflito de posicionamento dos manetes no pouso.

 

Esse alerta foi adotado a partir da década atual, depois de alguns acidentes. O avião da TAM foi fabricado em 1998. Pergunta: o avião da TAM estava equipado com esse FWC (Flight Warning Computer), série H2F3?

 

A “Folha de S.Paulo” de hoje (só para assinantes) traz reportagem de Leila Suwwan exatamente sobre esse detalhe. A repórter indagou à TAM se o PR-MBK (o prefixo do Airbus acidentado) tinha esse novo sistema. “A TAM foi procurada duas vezes na tarde de ontem [anteontem] e não respondeu se o A320 acidentado estava equipado com essa inovação”, relata a “Folha”.

 

Outras perguntas:

 

1)       A Anac (o governo) tem competência técnica para conhecer todos esses detalhes e fiscalizá-los?

2)       A TAM se preocupou em equipar seus A320 e similares com esses novos dispositivos de segurança, visto que outros acidentes semelhantes ocorreram em outros países?

3)       A Airbus se dispôs, espontaneamente, a reequipar os A320 com o dispositivo de segurança?

 

Como se vê, TAM, Airbus e governo não se livrarão tão facilmente de suas responsabilidades.

Por Fernando Rodrigues
 

Jobim se irrita com Zuanazzi e Anac
fica ainda mais isolada no governo

O presidente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Milton Zuanazzi, provocou momentos de grande tensão na cúpula do Ministério da Defesa e do Palácio do Planalto, anteontem e ontem. O titular da Defesa, Nelson Jobim chegou a enxergar uma atitude de possível sabotagem num procedimento de Zuanazzi. Ou, como o ministro chegou a relatar ao Palácio do Planalto, o chefe da Anac foi responsável por uma “bola nas costas” do governo.

 

No final do dia de anteontem (segunda-feira), quando já estava para ser encerrada a reunião do Conac (Conselho Nacional de Aviação Civil), o presidente da Anac pediu a palavra. Era o momento do clássico “assuntos diversos”. Não havia mais nada a ser dito, a rigor, pois estava se completando o processo de redirecionamento de vôos de Congonhas para Guarulhos.

 

Ao falar, Zuanazzi disse ser necessário apresentar dados sobre uma das pistas de Cumbica, para onde estavam sendo transferidos os vôos. Projetou em uma tela slides com fotografias de buracos na pista. Em um dos fotogramas, um aparelho intercomunicador portátil está dentro de uma fenda para dar uma dimensão do tamanho da falha.

 

Fez-se um silêncio na sala.

 

Como a Anac participou ativamente nos últimos dez dias da reformulação da malha aérea, os integrantes do Conac, Jobim á frente, ficaram sem saber como reagir. Se Zuanazzi sabia dos defeitos da pista, por que não alertou a todos com mais antecedência?

 

Jobim pediu ao presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, que comentasse o problema. "De fato, essa pista nunca foi reformada em 20 anos...", respondeu o chefe da estatal, favorável a uma reforma imediata em Guarulhos. O ministro da Defesa então o interpelou: "Mas o sr. sabia disso?". O clima pesou. A reunião foi encerrada.

 

Ontem (terça-feira) no final da manhã, Jobim teve novo encontro com Zuanazzi, José Carlos Pereira e outros integrantes do comando aéreo nacional. Antes de começar a reunião, o ministro fechou-se em uma sala reservada com o presidente da Anac.

 

"Ministro, o que aconteceu... Não houve intenção...", começou Zuanazzi, iniciando um pedido de desculpas. "Eu não julgo intenções. Apenas observo os fatos", interrompeu Jobim, dizendo não entender a razão pela qual a Anac não alertou a todos sobre os buracos numa das pistas de Guarulhos.

 

O ministro ficou particularmente irritado porque Zuanazzi esteve no domingo em seu apartamento para uma conversa reservada. O assunto dos buracos não foi citado.

 

O saldo do episódio é um desgaste ainda maior da Anac dentro do governo. A agência está completamente desmoralizada e não manda absolutamente nada.

 

Comentário do blog: todos esses problemas existem há tempos. É incrível o Planalto não ter tomado providências antes para evitar que a deterioração chegasse ao ponto atual.

Por Fernando Rodrigues
 

O drive político do dia (1.ago.2007 - 4ª feira)

Caixa-preta – a CPI do Apagão da Câmara analisa as informações das caixas-pretas do Airbus da TAM, enviadas pela Aeronáutica. Os deputados têm reunião secreta na manhã de hoje com técnicos da FAB e com o chefe do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), brigadeiro Jorge Kersul Filho.

 

Novo presidente da Infraero – como informa a coluna "Painel" na Folha de hoje (só para assinantes), o nome para presidir a Infraero deve ser o do ex-deputado federal Sérgio Gaudenzi, hoje presidente da Agência Espacial Brasileira. Ele é ligado ao PSB e conviveu com Nelson Jobim no Congresso, quando ambos foram deputados.

 

Lula entre os compromissos, o presidente participa da 7ª reunião extraordinária do Conselho de Nacional de Política Energética. Antes, recebe o ministro interino de Minas e Energia Nelson Hubner.

 

Lula e a fisiologia – mesmo sem constar na agenda oficial, o presidente deve receber o ex-prefeito do Rio de Janeiro Luiz Paulo Conde, indicado pelo PMDB para a presidência da estatal de Furnas. Conde entende tanto de energia quanto Lula de física quântica.
Comentário do blog: é assim que começam os apagões.

 

Congresso reabre – volta do recesso. No Senado, o presidente Renan Calheiros vai propor suspender a sessão de hoje em homenagem ao senador Antonio Carlos Magalhães.  

 

Relatório sobre Guarulhos a Infraero entrega ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, um relatório pedido por ele contendo informações sobre os aeroportos de Congonhas e de Guarulhos. O documento deve apresentar sugestões para melhorias na pista principal de Guarulhos.

Por Fernando Rodrigues
06h13 - 31/07/2007
 

Vale a pena ler de novo

O post abaixo traz resumo esclarecedor sobre como os senadores "sabatinam" e aprovam os diretores de agências reguladoras. No caso, a aprovação de 4 dos 5 nomes da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

 

A montagem do material é resultado de um trabalho fantástico dos webs do UOL e da equipe da Home do portal. Merece ser lido por quem deseja entender um pouco mais sobre uma das origens do caos aéreo: a desídia de um dos Poderes da República.

Por Fernando Rodrigues
 

O drive político do dia (31.jul.2007 - 3ª feira)

Cansamos!” X “Cansei” – hoje ou até amanhã a CUT e as demais centrais sindicais decidem se lançam mesmo um fogo de encontro para conter o “Cansei”, já apelidado de protesto de "dondocas enfadadas" por Cláudio Lembo. A propósito, leia a coluna "Cansei de basta!" de Janio de Freitas (só para assinantes) na Folha de hoje.
Comentário do blog: "Cansamos!" e "Cansei"... eles se merecem.

 

Pacote aéreo – o ministro da Defesa, Nelson Jobim, anunciou as medidas tomadas pelo Conac (Conselho Nacional de Aviação Civil) que entrarão em vigor por conta da crise aérea. Uma das resoluções editadas pelo órgão determina que Congonhas passará a receber vôos e a ter decolagens somente para os aeroportos de Brasília, Confins (MG), Galeão (RJ), Santos Dumont (RJ), Vitória (ES), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC), Foz do Iguaçu (PR), Campo Grande (MS) e interior do Estado de São Paulo. Congonhas também não será mais usado como centro de conexão para destinos em todo o país.

Comentário do blog: OK, OK, as decisões parecem sensatas... mas a Anac está sendo, como diriam os tucanos da Villaboim, “bypassada”. Aliás, mais do que isso: está havendo um desrespeito à lei. Quem decide essas coisas é a Anac, não o Conac.

 

Caixa-preta, a gincana pelos dados – a Aeronáutica deve entregar hoje para a CPI do Apagão Aéreo da Câmara cópia do CD com as conversas entre os pilotos do Airbus-A320 da TAM. A CPI negocia com a FAB uma reunião secreta com o chefe do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), Jorge Kersul Filho, para obter um relato detalhado sobre as causas do acidente.

 

CPI do Apagão ouve o brigadeiro a comissão insiste em manter o depoimento do presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, mesmo que não esteja mais no cargo. A CPI também deve ouvir o superintendente de Empreendimentos de Engenharia da Infraero, Armando Schneider Filho, e o comandante da TAM José Eduardo Batalha Brosco, que pilotou o Airbus antes do acidente em Congonhas.

 

TRE cassa Cássio Cunha Lima – a Justiça Eleitoral da Paraíba cassou o mandato do governador tucano-lulista (ele é do PSDB, mas apóia Lula) daquele Estado. Acusação: Cássio teria distribuído 35 mil cheques de um programa social no período eleitoral para influenciar o resultado do pleito do ano passado, quando foi reeleito.

Palpite do blog: o tucano vai recorrer e o caso vai parar no TSE. A lentidão básica da Justiça Eleitoral...

 

Arrocho fiscal – eis aí algo a respeito do qual o “Cansei” não reclama: de janeiro a junho, o governo federal (Tesouro Nacional, Previdência e Banco Central) economizou R$ 43,7 bilhões. A cifra é 13,5% maior do que a registrado no período em 2006. Essa brutal economia para pagar juros para os rentistas brasileiros e estrangeiros era esperada apenas para o final deste mês de agosto. Lula conseguiu antecipar o arrocho em dois meses.

 

Lula flanando, lança o PAC do saneamento em Cuiabá, Mato Grosso, e Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

Por Fernando Rodrigues
19h01 - 30/07/2007
 

CUT quer centrais em uma campanha
chamada “Cansamos” contra o “Cansei”

A direção da CUT (Central Única dos Trabalhadores) enviou um e-mail para outras organizações sindicais hoje propondo uma campanha para reagir ao Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros, o já conhecido “Cansei” http://blog.cansei.com.br/ –que reuniu 6.000 pessoas no último fim de semana, em São Paulo.

 

O “Cansei” se diz apolítico, mas seus idealizadores são identificados com o PSDB. A CUT, como se sabe, é a mais tradicional central sindical petista do país.

 

A idéia da CUT é reagir de maneira sarcástica ao “Cansei”, reciclando os slogans desse movimento. “A campanha será veiculada em nossas páginas de internet, em jornais impressos e programas de rádio de que dispomos”, diz o e-mail da CUT, assinado pelo seu presidente, Artur Henrique.

 

Eis como seria a campanha “Casamos”, da CUT e de outras centrais:

CANSAMOS!

· do trabalho escravo

· da sonegação de impostos

· do trabalho infantil

· da mídia que não aborda os movimentos sociais

· das jornadas de trabalho desumanas

· da mídia que criminaliza as lutas populares

· da Justiça que privilegia o poder econômico

· da mídia que só dá espaço aos poderosos

· do lobby das grandes empresas sobre o poder público

· das altas taxas de juros

· dos acidentes de trabalho

· da superexploração da mão-de-obra

· das taxas bancárias

· da precarização das condições de trabalho

· do superávit primário

· dos ataques aos serviços públicos

· da falta de direitos trabalhistas para mais da metade da população

Apesar de tantas razões, não temos tempo para sentir cansaço. Continuaremos lutando. Precisamos de sua participação. Filie-se ao seu sindicato!

Para saber se a campanha vai mesmo para a rua, a CUT espera nesta semana a resposta de outras centrais sindicais.

 

No post abaixo, a íntegra do e-mail enviado pela CUT.

Por Fernando Rodrigues
 

O e-mail da CUT propondo reação ao “Cansei”

Abaixo, a íntegra do e-mail da CUT propondo reação ao “Cansei”. Para preservar as fontes, foram retirados os e-mails do remetente (Artur Henrique, presidente da CUT) e dos destinatários:

 

-----Mensagem original-----
De: Xxxxxxxxxxxxxxxxx

Enviada em: segunda-feira, 30 de julho de 2007 16:40
Para: Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Assunto: para avaliação dass centrais

 

São Paulo, 30 de julho

Prezados companheiros

Consideramos oportuna e necessária a realização de uma campanha de protesto com a visão dos trabalhadores. A mensagem da campanha deve ser breve, para rápida compreensão e forte apelo. O objetivo maior é ampliar a repercussão – que não precisa de longos textos e argumentações para acontecer.

A campanha será veiculada em nossas páginas de internet, em jornais impressos e programas de rádio de que dispomos. O primeiro passo é a aprovação do texto que enviamos logo abaixo. Assim que as centrais avaliarem o conteúdo do texto e decidirem assiná-lo, passaremos à etapa de elaboração visual e gráfica. Portanto, pedimos que a avaliação do texto aconteça com a maior rapidez possível.

Um grande abraço

Artur Henrique, presidente da CUT

 Vejam, agora, o texto:

CANSAMOS!

· do trabalho escravo

· da sonegação de impostos

· do trabalho infantil

· da mídia que não aborda os movimentos sociais

· das jornadas de trabalho desumanas

· da mídia que criminaliza as lutas populares

· da Justiça que privilegia o poder econômico

· da mídia que só dá espaço aos poderosos

· do lobby das grandes empresas sobre o poder público

· das altas taxas de juros

· dos acidentes de trabalho

· da superexploração da mão-de-obra

· das taxas bancárias

· da precarização das condições de trabalho

· do superávit primário

· dos ataques aos serviços públicos

· da falta de direitos trabalhistas para mais da metade da população

Apesar de tantas razões, não temos tempo para sentir cansaço. Continuaremos lutando. Precisamos de sua participação. Filie-se ao seu sindicato!

Por Fernando Rodrigues
 

Senadores aprovaram diretores da Anac com
elogios e quase sem nenhum questionamento

Hoje o governo reclama da qualidade dos diretores da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Palácio do Planalto e oposição falam a mesma língua. Senadores, deputados e ministros criticam a baixa qualidade dos integrantes da autarquia. Mas o cenário foi bem diferente em 15 de dezembro de 2005 (embora o Senado tenha se equivocado e redigido "15 de novembro" na ata da reunião), quando foram aprovados os nomes dos integrantes desse poderoso organismo.

Realizou-se nessa data a sessão na Comissão de Infra-Estrutura do Senado para sabatinar de uma vez quatro dos cinco diretores da Anac _como determina a Constituição. Deveriam ser fortemente inquiridos, mas não o foram. A sessão de 2 horas e 19 minutos resultou apenas em uma ação entre amigos, com troca de elogios, conversas amenas, piadas e votos de feliz ano novo _era o último dia de trabalho dos senadores antes das festas de fim de ano.

A transcrição da sessão de sabatina dos diretores da Anac revela com crueza a incapacidade do Senado na hora de cumprir uma de suas missões: investigar verdadeiramente se os indicados pelo Palácio do Planalto estão à altura do desafio de regular um determinado setor da economia.

Veja abaixo como os senadores se comportaram diante da indicação de Denise Abreu, Leur Lomanto, Milton Zuanazzi e Jorge Velozo para a Anac.

 

 

A "sabatina" que não existiu

Mesmo com os relatórios epidérmicos sobre os indicados para a diretoria da Anac, nada impediria senadores de oposição de participar da sessão da Comissão de Infra-Estrutura. Depois das exposições dos currículos, começaria a sabatina.

Curiosamente, nada foi perguntado aos 3 indicados de fora do setor. Só o coronel aviador Velozo recebeu duas perguntas, mas foram genéricas (sobre o que ele achava que aconteceria com a Varig e sobre o estado da segurança dos vôos).

Poucos senadores falaram _e só para fazer enaltecer os indicados. Até porque o interesse de alguns ali era só votar e ir embora, sem prestar atenção no que era dito durante a sessão.

Veja abaixo algumas das frases retiradas durante a sessão no Senado:

 

 

 

 

 

Por Fernando Rodrigues
 

Rossano Maranhão recusa convite para
Infraero e Jobim busca agora outros nomes

O ex-presidente do Banco do Brasil Rossano Maranhão avisou ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, que “não tem condições de assumir a presidência da Infraero”, segundo ouviu este blogueiro dentro do Palácio do Planalto. Essa informação foi repassada por Jobim ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva na manhã de hoje, durante a reunião de coordenação do governo.

 

Rossano alegou “compromissos profissionais anteriores” para não assumir a direção da Infraero, a estatal federal que comanda 67 aeroportos e tem mais de 10 mil funcionários. O ex-BB, no entanto, disse que toparia participar do conselho de administração da empresa –o que já foi visto como uma boa ajuda pelo governo.

 

Neste momento, o ministro da Defesa busca outros nomes para analisar e tentar fazer uma mudança no comando da Infraero. Hoje, a estatal é presidida pelo brigadeiro José Carlos Pereira, considerado desgastado demais pelo governo para conduzir algum processo que venha a minimizar o colapso aéreo no país.

 

No caso da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), uma ala do governo de fato cogitou a possibilidade de forçar uma renúncia coletiva de todos os 5 diretores dessa autarquia. Ocorre que essa estratégia nunca foi consensual dentro do Palácio do Planalto –embora os seus defensores tenham tido mais sucesso em divulgar o assunto do que aqueles que estavam em dúvida.

 

Ficou decidido hoje de manhã que alterações podem de fato ser necessárias, mas não são as mais urgentes. O entendimento de Lula é que a Anac está “controlada” depois que foi ressuscitado o Conac (Conselho Nacional de Aviação Civil), órgão composto por vários ministérios sob o comando da Defesa.

Por Fernando Rodrigues
 

O drive político da semana (30.jul a 3.ago)

segunda-feira (30.jul)

Conac – o Conselho Nacional de Aviação Civil terá sua primeira reunião já sob o comando do novo ministro da Defesa, Nelson Jobim. O encontro será das 12h às 14h, na sede do Ministério, para demonstrar que o comando está sob Jobim.

Comentário do blog: veja como o governo é um paquiderme e demora a reagir. A página do Conac no site do Ministério da Defesa ainda não traz as últimas alterações nesse organismo (incorporação do Ministério do Planejamento). Pressa? Para quê?

 

Jobim começa a agir – além do Conac, reúne-se com o presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira. O ministro busca substitutos para JC e para pelo menos parte dos 5 diretores da Anac –há uma expectativa renúncia de alguns dos integrantes da cúpula da agência.

 

Gincana pelos dados da caixa-preta – já estão no Brasil todos os dados da caixa-preta do Airbus da TAM. Está aberta a caça aos dados. Será um festival de vazamentos entrecortados e não necessariamente conectados entre si.

Comentário do blog: o governo faria melhor se divulgasse de uma vez os dados o mais rapidamente possível.

 

Lula – recebe o time de futebol Fluminense e o secretário-geral do MR8, Sérgio Rubens. O presidente também se reúne com Nelson Jobim para discutir a crise aérea.

 

Boa notícia: o Pan acabou – Lula não foi, mas foi vaiado. Sérgio Cabral (PMDB) e César Maia (DEM) também foram vaiados.

Comentário do blog: esse foi o Pan da vaia.

 

Cansei – no ato de ontem, frase do Seu Jorge: "Alô, presidente. Atividade na laje!".

 

Luto: morreu o cineasta sueco Ingmar Bergman. Tinha 89 anos.

 

terça-feira (31.jul)

CPI do Apagão – a comissão ouve pela manhã o diretor-presidente da Pantanal Linhas Aéreas, Marcos Sampaio Ferreira. Um avião da companhia derrapou na pista de Congonhas no dia anterior ao acidente com o Airbus da TAM. À tarde estão previstos os depoimentos do superintendente de Empreendimentos de Engenharia da Infraero, Armando Schneider Filho, e do presidente da empresa, brigadeiro José Carlos Pereira.

 

quarta-feira (1.ago)

CPI do Apagão – está previsto o depoimento, às 11h, do comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro Juniti Saito.

 

Congresso – retorna do recesso. Mas trabalho mesmo só na semana que vem... Claro, para que pressa?

 

quinta-feira (2.ago)

CPI do Apagão – está agendado o depoimento do presidente da TAM, Marco Antonio Bologna, e do representante da Airbus no Brasil, Mário Sampaio. Eles deverão ser inquiridos pelos deputados sobre o acidente com o avião Airbus A-320 da TAM, principalmente sobre o problema com o reverso da aeronave.

Por Fernando Rodrigues
Perfil

Fernando Rodrigues, jornalista, nasceu em 1963. Fez mestrado em jornalismo internacional na City University, em Londres, Reino Unido (1986).

Na Folha desde 1987, foi repórter, editor de Economia, correspondente em Nova York (1988), Tóquio (1990) e Washington (1990-91). Na Sucursal de Brasília da Folha desde 1996, assina a coluna "Brasília", na página 2 do jornal, às quartas e sábados.

Mantém uma página de política no UOL desde o ano 2000 - com informações estatísticas e analíticas sobre eleições, pesquisas de opinião e partidos políticos. Em 2007/08 recebeu uma fellowship da Fundação Nieman, na Universidade Harvard (Cambridge, MA, nos Estados Unidos).

Regras de uso

Busca
Neste blog Na Web

Histórico